Chá no Ritz


Ganhei de Natal do meu namorado o livro 1000 Lugares para Conhecer antes de Morrer, e já li duas coisas que achei muito interessantes! Quando for assim então venho aqui dividir com vocês!
Hoje li sobre tomar chá no restaurante de um dos hotéis mais renomados de Londres, o Ritz. Para quem vai passar as férias na capital Inglesa, e está disposto a investir um pouco mais em cultura e luxo, pode reservar uma mesa no Ritz para seguir a mais famosa das tradições inglesas, tomar chá! E é isso mesmo, para conseguir se sentar no luxuoso salão, decorado de acordo com inspirações feitas no cenário de Versalhes, deve agendar com cerca de um mês de antecedência, tamanha a procura. A etiqueta e pompa tão valorizada na época da Inglaterra eduardiana está presente no ambiente, como no que diz respeito a etiquetas e regras do chá da tarde, envolvendo também as peças utilizadas de louça, as toalhas de mesa de linho que cobrem as mesas e bandejas de prata repletas de guloseimas. Além dos deliciosos chás, os visitantes têm a oportunidade de experimentar deliciosos bolos, sanduíches, geléias de morango caseiras, coalhadas e doces de dar água na boca! Com toda a certeza é uma tarde para se sentir em uma das épocas mais pomposas da corte inglesa. É uma cultura local para se viver e ver na prática as reais sensações. Ah, e uma dica: não apareçam sem um traje de gala!
O site é www.theritzlondon.com, e há dois horários diários para o chá: 15:30 e às 17h.

Em breve, mais lugares interessantes, para assim, quem sabe, complementar as férias de vocês!

^^

Read Users' Comments (2)

Condições Climáticas no Mundo


É Dezembro, dia 22, quase véspera de Natal, e o mundo se prepara, enfeitando suas casas, comprando presentes e viajando de férias ou para casa, visitar a quem se ama. Na teoria é isso o que deveria acontecer todos os anos, sem maiores problemas, mas na prática, todo esse processo torna-se bem complicado. Essa complicação deve-se, além de ao grande movimento de fim de ano, às condições climáticas de cada hemisfério. Enquanto no hemisfério sul o calor é quase insuportável, no hemisfério norte as nevascas são sempre dignas de se parar o trânsito, literalmente. Não só o trânsito, como também aeroportos e ferrovias, atrasando a vida de todos que querem ou precisam viajar. Já as chuvas acabam atingindo várias cidades pelo mundo, e também causam transtornos.
Estou na cidade de Belo Horizonte, preparando-me para o Natal, e isso inclui andar incessantes horas pelas ruas ou shoppings, à procura do que comprar. Porém, qualquer cristão há de convir comigo que fazer isso, sob uma temperatura de no mínimo 30 graus, é praticamente insuportável! E nas últimas semanas, essas andam sendo as condições climáticas aqui no Brasil. Aqui em Belo Horizonte está tão abafado, que tem horas que nem um ar condicionado dá conta. É aí que vemos as pessoas com dor de cabeça e com mal estar, devido ao calor horrível. Isso acaba tirando o humor de cada um. E é nessa época do ano que nós, típicos Brasileiros, costumamos procurar a praia mais próxima e tentar amenizar a situação, com menos roupas e água fria por perto. Mas há também os brasileiros que não suportam calor de jeito nenhum, e querem porque querem fugir o mais rápido possível para o hemisfério norte, curtir uma neve nas férias e se agasalhar, como manda o figurino. Quem sabe até aprender a esquiar.
Bom, aí começa um outro tipo de problema... nem sempre os que querem se refugiar nos países nórdicos conseguem, já que as tempestades de neve, comuns nessa época do ano, acabam bloqueando pistas de aeroportos e outros meios de transporte, fazendo com que ninguém entra e ninguém saia deles. Quem está acompanhando as notícias da europa, por exemplo, está vendo que passageiros andam dormindo em camas improvisadas nos aeroportos, devido a cancelamentos de vôos por causa do mau tempo. Centímetros consideráveis de camadas de neve se acumulam em pistas, ferrovias e estradas, tornando os percursos mais perigosos e muitas vezes, impossíveis de serem realizados. No aeroporto internacional de Frankfurt na Alemanha, por exemplo, o aeroporto chegou a ficar completamente fechado, com passageiros dormindo no local, e uma multidão tumultuando o saguão. Assim ocorreu também nos aeroportos de Londres e Paris. Quem queria viajar para reencontrar a família no Natal, acabou se atrasando ou tendo maiores aborrecimentos. E quem queria vir para os países do sul para fugir das tempestades de neve, e para aproveitar o calor acolhedor aqui do Brasil, por exemplo, acabou tendo muitas dificuldades para chegar até aqui. E para quem ficou por lá mesmo, acredito que teve dificuldades também de sair pelas ruas em busca de enfeites e presentes.
Já aqui no Brasil, além do calor forte e insuportável, temos também as famosas e intensas chuvas de verão que ocorrem ao final do dia. Elas costumam ser um problema, pois alagam bairros inteiros, avenidas e chegam até a provocar deslizamentos de casas localizadas em locais mais altos, acabando com a vida e os sonhos de toda uma família. Um exemplo desse tipo de transtorno que virou tragédia foi o que aconteceu no último reveillon, em Angra dos Reis/RJ. O excesso de água acumulada na terra provocou o deslizamento de um barranco em cima de uma pousada, matando vários jovens.
Fim de ano, apesar de ser uma delícia, costuma ser um caos em todos os lugares, e cada um tem seu típico problema, que está de acordo com sua localização geográfica. Mas apesar dos poréns, fim de ano sempre trás uma áurea especial, e conseguem nos deixar, por incrível que pareça, mais pacientes e ansiosos para a chegada de um novo ano!

Read Users' Comments (2)

Natal na Alemanha!


Pessoal, gostaria de agradecer àqueles que me dão força e ânimo para escrever aqui! Acabo de completar 10 seguidores aqui no Blog, e 83 no Twitter (@Beiradocaminho_)! Obrigada mesmo pelo carinho e comentários que também recebo aqui! Vou continuar trazendo o melhor de cada pedacinho desse mundo para vocês! ;)

Bom, novidade! Acabo de me tornar nova colaboradora do site Sair do Brasil (www.sairdobrasil.com). Bom demais, né! Vocês podem conferir meus textos aqui e agora lá também! Segue então o primeiro deles, o qual o assunto é um encanto: Natal!


Natal na Alemanha

Já está chegando o fim de Novembro, e aí já começamos a relaxar, pois o ano está chegando ao fim. Acho tão gostoso ver a cidade enfeitando-se de Natal, com lojas, shoppings, casas e prédios ficando mais bonitos, enfeitados e iluminados, todos carregando aquela áurea mágica que só a comemoração do nascimento de Jesus traz.

Bom, Natal no Brasil já é uma delícia, agora imaginem o Natal da Alemanha, que tem fama de ser o lugar que mais comemoram essa época no mundo? São luzes iluminando cada rua da cidade, enfeites espalhados, os tradicionais biscoitos caseiros de canela, as feiras encantadoras presentes em todo o país e, não poderia faltar, um toque muito especial que deixa a época ainda mais charmosa: a neve! Quem não está acostumado a ver enfeites cobertos de “neve” e tapetes de algodão para dar um clima ainda mais natalino? Pois é, lá é de verdade!

As cidades alemãs são especialmente iluminadas para dar um clima aconchegante em cada canto, além de parecerem mais aquecidas, uma vez que o fim de ano europeu é sempre acompanhado de um inverno bem rigoroso. É uma forma, portanto, de tentar enganar esse frio. O Natal em si é muito especial para os alemães. É época de reflexão, de colocar as coisas em ordem, arrumar e limpar a casa, além de muita alegria e tradições. Há várias peculiaridades que deixam o fim de ano deles encantador para todo o mundo. Tem as famosas Feiras de Natal (Weihnachtsmärkte), que costumam funcionar em praticamente todo o mês de Dezembro, e nelas encontram-se enfeites natalinos de todos os tipos, além de tocar músicas típicas. As preferidas são as das cidades de Dresden e Nurembergue. Há também a celebração do Advento, que começa sempre 4 semanas antes do Natal. A palavra Advento significa chegada, e para essa celebração, são feitas coroas ou guirlandas, contendo 4 velas. A cada domingo do Advento, uma vela é acesa. Então, quando chega o Natal, a bela guirlanda já se encontra toda acesa e reluzente . Sua forma circular simboliza a união das famílias. Além da guirlanda, encontra-se à venda também o Calendário do Advento, que possui 24 janelinhas numeradas. A cada dia que se passa, as crianças abrem uma janelinha e encontram um presentinho. É uma forma de incentivá-las a esperar pelo Natal.

No que diz respeito à culinária alemã no Natal, na noite da ceia são preparados gansos recheados, o que é uma tradição. Donas de casa e famílias com seus filhos costumam passar umas horas na cozinha, preparando biscoitos caseiros, em especial de canela e amêndoas. É por isso que nessa época as cidades alemãs ficam com cheiro de canela pairando no ar. Simplesmente delicioso! E se aqui é Papai Noel, lá é São Nicolau, um bispo que ficou conhecido por sua bondade com crianças. Ao contrário de roupa vermelha e barrigudinho, o São Nicolau é alto, esbelto e usa uma batina branca. Na véspera de Natal, dia 24 de Dezembro, as famílias possuem o costume de ir à missa, antes da ceia e da troca de presentes. Não é à toa que as igrejas ficam sempre cheias no dia.

É ou não é encantador o Natal na Alemanha? É sempre um encanto em qualquer lugar do mundo, mas não deixem de viver essa experiência mágica!

Volto em breve com mais textos! ;)
^^

Read Users' Comments (0)

Sensações do campo


Hoje eu vou juntar meu cansaço com uma letra de música que ouvi esses dias e fiquei com ela na cabeça. Como assim? Vou explicar! Desde que me entendo por gente, tenho casa de campo aqui no interior de Minas Gerais! Nada sofisticado, apenas um sítio onde passava todos os meus finais de semana (ainda vou para lá, mas não em todos os finais de semana), com os pés na terra, cercada de bichinhos como formigas e cigarras, e pássaros cantando do amanhecer ao anoitecer, além de sapos e grilos na hora de dormir. Para alguns pode parecer programa de índio, mas eu vou falar o tanto que ir para uma casa de campo no interior descansa! Não só por sairmos da rotina de cidade grande, onde precisamos do carro pra tudo, além de enfrentar situações estressantes como trânsito ruim, businas e poluição, sem contar aquela visão constante de prédios e cimentos; mas também por ter contato com a terra, com o verde, com os animais e o silêncio. Nossa, geralmente sinto falta do interior, mas hoje especialmente me deu mais saudade ainda! Não vou esconder que adoro viver na cidade grande, cercada de tecnologias, mas como é gostoso um aroma do campo. Volto muito mais relaxada para Belo Horizonte após uns dias lá!
A música que ouvi por esses dias é do Sérgio Reis, mas escutei ao som de Fagner. Chama-se Estrada de Canindé. Para quem não sabe, Canindé é uma importante cidade do interior do Ceará, e fica a 108km de Fortaleza. Li sobre ela e achei interessantíssimo, tanto que merece um post só pra ela, depois! Agora vou colocar a letra aqui para vocês. O português é de interior, mas os dizeres passam a mais pura verdade, de como é uma delícia o contato com a natureza! Vejam:

Estrada De Canindé
Sérgio Reis

Ai, ai, que bom
Que bom, que bom que é
Uma estrada e uma cabocla
Cum a gente andando a pé
Ai, ai, que bom
Que bom, que bom que é
Uma estrada e a lua branca
No sertão de Canindé
Artomove lá nem sabe se é home ou se é muié
Quem é rico anda em burrico
Quem é pobre anda a pé
Mas o pobre vê nas estrada
O orvaio beijando as flô
Vê de perto o galo campina
Que quando canta muda de cor
Vai moiando os pés no riacho
Que água fresca, nosso Senhor
Vai oiando coisa a grané
Coisas qui, pra mode vê
O cristão tem que andá a pé


Eu acho essa letra fantástica, e recomendo a todos ver o orvalho beijando as flores, enquanto se molha os pés nos riachos! Faz bem para a mente e saúde.
Assim também é no lindo interior de Minas Gerais!
Ahhh, já ia me esquecendo! A foto acima é justamente do meu interior que tanto amo, onde fica o meu sítio! Dá para relaxar só de olhar a foto, não é?

Despeço-me com ainda mais vontade de ir para o campo! =)
^^

Read Users' Comments (0)

Northmoor, origem do medo do escuro.


Neste último sábado, dia 6 de Novembro, vi um documentário tão bacana no History Channel, que me apressei em vir contar aqui. Tratava-se de uma explicação para a origem do medo de escuro que a humanidade sente desde que é humanidade. E realmente faz todo o sentido! É o seguinte: lá na época medieval européia, onde a luz elétrica nem pensava em existir, e predominava a escuridão, as pessoas eram tomadas pelos barulhos e pela incerteza do que ocorria em volta. Principalmente no período de inverno, as noites eram longas, fazendo com que a população ficasse mais dentro de suas casas, mas havia os que não podiam deixar de andar pelas estradas que interligavam as vilas, cheias de árvores, matagais e obstáculos, e é aí que os medos do escuro iam nascendo.
A cidade tomada como referência nessa história é a cidade de Northmoor, interior da Inglaterra. Uma cidade campestre, com poucas casas e muito mistério, devido à sua falta de movimento e constante escuridão. A população procurava não se arriscar nas estradas desertas, porém alguns não tinham escolha. Havia relatos de ruídos estranhos ao longo do percurso, além da possibilidade de ladrões que encurralavam a presa, amarravam-na em troncos de árvore e iam embora com seus pertences, deixando-os à própria sorte. Depois disso, quem andasse por esses lados, podia ouvir pedidos de socorro ao longe, quando não ouviam também barulho dos corpos balançando, pendurados. Era um terror sem fim para quem não enxergava muito além de seu nariz, pois o pensamento era de que o mesmo poderia acontecer com ele. Além do medo de assaltantes e acabar pendurado enforcado em uma árvore, havia o medo do próprio caminho, que muitas vezes eram armadilhas para quem passasse a pé, como buracos fundos, pedras escorregadias onde as pessoas podiam tropeçar e quebrar o pé, e ainda desníveis de solo, onde os andarilhos tinham a possibilidade de pisar em falso, se machucando. A vida não era mesmo fácil no período medieval, onde dependia-se da luz do sol para praticamente tudo. Mas não era só nas estradas que o perigo e o medo se instalavam. Dentro de suas casas os moradores também não se sentiam tranquilos e protegidos por completo. Isso se deve aos inúmeros assaltos que ocorriam às casas de camponeses que viviam "no meio do nada". Os ladrões entravam pelas portas ou janelas, saqueavam o interior da casa e fugiam, podendo até queimar a casa antes, como acontecia em alguns casos. Para escaparem de mais esse pesadelo, moradores tentavam se proteger basicamente de três formas: uma delas seria arrumar trancas para a porta, geralmente compostas de chaves pesadas de aproximadamente 15cm de comprimento. Uma outra forma seria colocando velas nas janelas, dificultando um pouco mais a entrada dos saqueadores, além de mostrar que tem gente na casa, e que a mesma não está abandonada. Havia ainda a maneira mais eficaz, que era colocar cães feroses do lado de fora, perto da entrada. Muitas vezes esses cães deixavam de ser alimentados por dias, estando também famintos. Ao notarem a presença de um desconhecido aproximando-se da casa, os animais chegavam a devorar a vítima.
Como podemos notar, a vida de camponês da Idade Média não era realmente nada fácil, ainda mais se tratando de uma região onde as noites chegavam a ter dezoito horas ao dia, dependendo da época. E uma curiosidade: foi exatamente por se ter uma noite tão longa, que surgiu a expressão "primeiro sono, segundo sono". Isso porque as pessoas dividiam o sono em etapas, justamente para não dormirem mais de dez horas por noite. Geralmente logo após o pôr do sol elas já dormiam, e acordavam por volta de meia-noite, fazendo a segundo sono depois de algum tempo acordados, até o amanhecer. Foi daí que surgiu a expressão que usamos até hoje, quando dizemos que "fulano" está no segundo sono!
Pois então, agora já sabemos porque até hoje temos medo de andar pelo escuro, além de sabermos também o porque de dizermos que nosso amigo está no primeiro, segundo ou no vigésimo sono, e que isso surgiu na Inglaterra, na época medieval!
Espero que tenham gostado!

^^

Read Users' Comments (0)

Pôr-do-sol em João Pessoa!


Hoje eu venho com uma bela foto, acompanhada de um belo programa para quem curte natureza e uma bela paisagem! É tudo muito belo sim, pois estamos falando de pôr-do-sol na praia, mais precisamente em João Pessoa! Meus pais estiveram lá semana passada e me disseram para recomendar a todos esse programa inesquecível!
É o seguinte, para quem estiver visitando João Pessoa, na Paraíba, programe um passeio para o Litoral Norte, e veja com os guias ou recepcionistas do hotel em que está hospedado, o melhor horário e forma de ir até lá. Na praia do Jacaré, o programa consta no seguinte: um saxofonista, que é famoso na região, toca de dentro de um barco, durante o pôr-do-sol, para os espectadores presentes na orla. Quem quiser pode acompanhar o show da beirada mesmo, mas quem preferir pode pagar em torno de R$ 20,00 e sentar-se no deck, nas mesas que ficam na beira mesmo do Rio Paraíba, com uma vista privilegiada de onde o saxofonista toca. Ele começa tocando Bolero de Ravel, e segue de um lado para o outro, tocando músicas que combinam com o momento, até o sol se pôr. Após isso, ele vai para os deckes onde se encontra o público, e toca no meio de todos. Após o músico acabar sua parte no espetáculo, entra em cena um trio musical, tocando forró, animando o início da noite de todos os presentes. O movimento no local fica até por volta das 19:30 da noite, sendo, portanto, um Happy Hour muito agradável para os turistas.
Tudo começou da seguinte forma: um saxofonista costumava tocar, desde há algum tempo, por ali nas redondezas, na praia do Jacaré, e seu horário preferido era sempre no final do dia. Como a música era agradável e ele tocava muito bem, pessoas começaram a aglomerar-se ao seu redor, querendo ouvir suas melodias. Com o passar do tempo, surgiu a ideia de associação de sua música com o belo pôr-do-sol, que se dá "por tráz" do Rio Paraíba, formando um belo cenário, como podemos ver na foto acima. Desde então o público só cresce, e pessoas de todos os cantos não perdem a oportunidade de vê-lo tocar, quando transforma em música um dos mais belos e inspiradores momentos da natureza.

Deu vontade de conhecer a Paraíba e sua linda capital João Pessoa? Busque aqui no blog, ao lado esquerdo, as passagens aéreas e hotéis, também no preço!

Até a próxima! ^^

^^

Read Users' Comments (0)

"Como sou pobre, só compro nos EUA"


Essa frase "Como sou pobre, só compro nos EUA" é uma espécie de carapuça que serve para uma boa parte dos brasileiros, para não falar que para quase todos. Quando o empresário gaúcho Henri Chazan disse essa frase, ele quis dizer o que todos estamos habituados a ver, ou seja, pessoas poupando dinheiro para comprar aquele eletrônico com o qual sempre sonha, em uma viagem suada aos EUA, ou então pesquisas em sites americanos de compra, como Amazon e Ebay, para importá-lo. São poucos os que vão às lojas aqui no Brasil e saem dela com seu MacBook ou qualquer outro produto debaixo do braço, felizes da vida. E os que fazem isso nem devem sair tão felizes assim, pois a nota que gastaram dói no bolso de qualquer um.
Isso acontece pelo simples motivo: os impostos Brasileiros. Com eles, os produtos que entram aqui recebem uma taxa de impostos, e as empresas, para não tomarem prejuízo na revenda, repassam um valor ainda maior para o consumidor, conseguindo assim seu lucro sobre o produto. É a mais dura verdade, se não temos condições de fazer compras nos Estados Unidos, ou de importar, temos que nos contentar em juntar um dinheiro absurdo para pagar um produto que, "lá fora", é cerca de um quarto do preço daqui. E detalhe, os modelos são os mesmos.
Foi o que disse o repórter da revista Época, José Fucs:
"Se os impostos fossem menores e a diferença (ou boa parte dela) fosse repassada para o consumidor, mais gente poderia comprar as mesmas coisas. Também sobraria mais dinheiro para que pessoas comprassem outras coisas - ou poupassem. Em ambos os casos, elas estimulariam o desenvolvimento do país, ajudariam a gerar mais empregos e no final das contas até elevariam a arrecadação do governo com os impostos, pelo aumento da atividade econômica."
Como podemos constatar, é um absurdo comprar produtos aqui, contribuindo assim para que essa situação continue. É claro que acabamos não tendo tantas outras opções, mas isso não deixa de ser revoltante. Para vocês terem uma ideia, somos os turistas que mais gastamos nos Estados Unidos, superando até mesmo Japoneses e Franceses. Garanto que isso não é dinheiro sobrando. E quem não pode ir, acaba pedindo para quem vai, para trazer alguma coisa. Quem nunca passou por isso que atire a primeira pedra!
Sabendo disso, minha gente, vamos colaborar com nossos conterrâneos, e trazer aquele MacBook especial, ou um PSP, ou qualquer outra coisa que seja MUITO mais barato do que nos Fast Shops dos shoppings brasileiros! Já é uma forma de conseguir as coisas que aqui são praticamente impossíveis, devido aos "amigáveis" impostos, como não se vê em lugar algum!

Aproveite e pesquise passagens para os EUA, e faça suas compras de Natal, mais barato! ;)

Acesse:
http://migre.me/1PlmN

Até a próxima!

Read Users' Comments (0)

O Muro de Berlim


Hallo Leute! Esse cumprimento em alemão (Olá pessoal!) está totalmente de acordo com o post de hoje, o Muro de Berlim, ou Berliner Mauer.
Semana passada participei de um concurso de redação do site da Deutsche Welle - http://www.dw-world.de/brazil - que era justamente sobre o Muro de Berlim, sua queda e as consequëncias para o mundo! Achei o tema muito interessante e resolvi participar desse concurso, pois para mim, nada na história se igualou a esse acontecimento. Creio que estar por dentro do assunto e saber o que sentiram os que estavam ligados diretamente e até mesmo indiretamente a esse acontecimento, é uma ótima oportunidade de crescimento do acervo pessoal. Antes mesmo de pensar em participar desse concurso já lia bastante sobre o assunto, e após isso li ainda mais e fiquei sabendo de coisas ainda mais incríveis que não aprendemos na escola.
Primeiramente havia feito um texto grande e completo, com pra lá de 3 mil caracteres, mas o concurso permitia somente no máximo 1500, então tive que diminuí-lo pela metade. Segue então o que enviei para o Deutsche Welle. Se alguém se interessar por ler o maior (e mais completo), mande-me um e-mail (robertavonzastrow@gmail.com) que eu o envio! Espero que gostem!

O Muro de Berlim - Berliner Mauer
O Muro de Berlim pode significar apenas uma construção, mas sua realidade trouxe e
ainda traz significados para a população alemã e todo o planeta. É um acontecimento
singular, no qual uma cidade foi dividida entre capitalismo e comunismo, assim como
famílias, ideais, orgulho e sonhos.

Devido às glórias do capitalismo, o direito de ir e vir foi cercado e guardas comunistas
receberam ordens para punir quem desobedecesse à regra de permanecer nos
limites. Revoltas, mortes e por vezes o silêncio marcaram um povo que foi abrindo
mão de sua identidade e, durante 28 anos, o pesadelo reinou. Mas no dia 9 de
Novembro de 1989 o muro ruiu e com ele a ideologia comunista. A população foi às
ruas, abrindo passagem para o lado antes proibido.

Mas a queda do Muro não foi uma solução instantânea. Na Alemanha a população
teve que reacostumar com o outro lado, além também da unificação da moeda. Até
hoje o lado Leste, ex-URSS é menos desenvolvido que o Oeste, ex-EUA. Porém,
essa diferença só diminui com o tempo. Para o mundo, o ano de 1989 foi o marco
para mudanças, com o crescimento dos EUA como nação soberana e seu sistema
capitalista, referência para nações em desenvolvimento.

Os processos que levaram à construção e queda do Muro foram marcantes para
todos. O tempo passa e marcas da violência ganham novos ares e novo panorama.
As pessoas se tornaram aptas a refletir, a serem mais críticas e a questionar. O Muro
deixará sempre sua marca, seja pelas ruas de Berlim, ou em livros e na mente das
pessoas, assim como em pedaços espalhados por nações que viram uma divisão de
espaço e comando subir e ruir, em 28 anos de muita repressão.



Foi esse o texto! A história que envolve tudo isso é muito interessante! Livros e filmes é o que não falta para ficarmos mais por dentro do assunto. Para quem gosta de história, com certeza é um prato cheio!

Para quem pretende ir a Berlim e conhecer tudo isso mais de perto, pesquise aqui hotéis e passagens aéreas para a capital alemã!

Passagens aéreas
http://migre.me/1Dkc7

Hotéis
http://migre.me/1Dkev

Dúvidas, críticas, sugestões, elogios ou querem contribuir com um texto bacana? Escrevam-me: robertavonzastrow@gmail.com

Tschüss! =)
(Tchau)

Read Users' Comments (0)

Praia de Jeribucaçú


Gente, vou contar para vocês da praia de Jeribucaçú, próxima a Itacaré!
Todos já ouviram falar que Itacaré é um verdadeiro paraíso selvagem, certo? E realmente é! Quando fui, em 2008, quase não havia barracas, e não existiam vendedores ambulantes circulando e oferecendo seus produtos. Lá não tinha isso, somente turistas (a maioria extrangeiros), surfistas e as lindas pousadas. As praias não possuem estruturas que costumamos ver em outras cidades praianas badaladas, como Porto Seguro. Quem quiser algum conforto, que leve de casa.
Itacaré já é um cenário perfeito para quem quer descanso, sossego e ouvir apenas o barulho do mar. Mas saibam que, a 8 km de Itacaré, existe um lugar ainda mais "abandonado", selvagem e simplesmente maravilhoso. Estou falando da praia de Jeribucaçú!
Para você chegar nessa praia, para se ter uma ideia, é necessário andar no interior de uma fazenda que é propriedade privada, por uma trila no meio do mato por cerca de 30 minutos. Além de barrancos e morrinhos leves, a vista em alguns locais é simplesmente sensacional, com direito a muitos coqueiros e um mar azul maravilhoso de fundo. Depois de várias descidas, chega-se literalmente ao paraíso. De um lado, o mar imponente com suas ondas dignas de surf, e do outro um rio calmo e sereno, que vai de encontro ao mar da forma mais suave possível. O verde dos coqueiros está por todo o lado, fazendo você se sentir realmente no coração na natureza.
Poucas pessoas vão até o local, tanto que durante o tempo em que estive lá havia somente duas dinamarquesas, um casal de namorados e minha família. Há também uma pequena barraca com um vendedor, que fornece bebidas e um peixinho frito para a hora que a fome apertar.
Aproveitei muito essa praia para descansar e me esquecer do mundo. Minha distração era ficar sentada no interior do rio, na parte de sua tragetória em que corre manso para o mar. Essa parte é bem rasa e a água muito transparente, tanto que podemos ver peixinhos coloridos passando ao nosso lado. O único barulho que escutamos é das ondas quebrando na areia. É impressionante como um lugar ainda pode ser tão tranquilo, além de lindo!
Vale à pena também observar o encontro do rio com o mar, que forma um belo espetáculo!
Bom, taí a dica então heim! Quando forem a Itacaré, não deixem de conhecer a praia de Jeribucaçú! Garanto que vale MUITO à pena!


Eu ouvi esses dias o pessoal da minha sala comentando um com o outro o que vão fazer no reveillon. Pois é, já estamos começando a avaliar o reveillon. E o pior é que temos que começar a olhar realmente por agora, pois mais pro fim do ano vão acabando todas as opções. Para facilitar a vida de todo mundo, tem disponível na barra lateral daqui do blog, uma ferramenta de comparação de preços de passagens aéreas e hospedagens. Dessa forma fica bem mais simples achar a melhor opção para sua viagem!
Vou disponibilizar aqui também links de passagens para os principais destinos no reveillon!
Façam bom proveito! =)

Rio de Janeiro
migre.me/1s4Vx

Salvador
migre.me/1s4U9

Florianópolis
migre.me/1s4Tr

Quem tem alguma história interessante ou dica, é só me enviar um e-mail: robertavonzastrow@gmail.com
^^

Read Users' Comments (1)comentários

Lugares mais visitados do mundo


Aí está um mapa divulgado, que representa as áreas mais intensas de turismo no mundo, segundo o Panorâmio, site de fotos da google. Segundo o mapa, as àreas amarelas são as que recebem turismo intenso, as vermelhas recebem turismo médio e as azuis as que recebem pouco ou nenhum turismo. As áreas cinzas indicam que não há visita alguma.
Essa pesquisa foi baseada em análises de fotos no Panorâmio. Foram examinadas as fotos, como onde foram tiradas para que se obtivesse esse resultado. Tudo bem que as áreas com cores intensas realmente indicam as mais visitadas no mundo, mas será que as áreas azuis e cinzas são realmente pouco ou nada focos de turismo?
Acredito que turistas tenham vários tipos de comportamentos quanto a fotos tiradas em suas viagens. Muitos ainda acreditam na magia de revelar as fotos e colocar em um álbum personalizado (eu ainda sou adepta a essa ideia. Gosto de ter tudo em mãos), outras acham melhor apenas gravar em cd's e guardar como recordações que um dia voltarão a ver. Existem também as que gostam de expor suas fotos, aí sim as disponibilizam em sites como Picasa, Flickr, além dos sites pessoais, como blogs, Orkut e Facebook. Pelo menos aqui no Brasil, não são todos que conhecem o Panorâmio. Sinceramente nunca soube de ninguém que posta fotos lá. E isso quer dizer que brasileiros não viajam? Não mesmo! Brasileiros andam se virando, mas andam viajando! Tenho reparado e vejo um número cada vez maior de pessoas buscando conhecer o exterior, ou o Brasil mesmo, querendo ver mais coisas, conhecer mais culturas e mais paisagens diferentes. Ando percebendo muita gente investindo na própria cultura.
Portanto, penso que seria bom pensar que pode haver muito mais turismo nas áreas azuis e cinzas do que a Panorâmio indica. Mas podemos já ter certeza que Europa, Ásia, EUA e uma pequena parte do litoral Brasileiro ainda ocupam uma incrível faixa da atenção dos turistas!

Aproveitem e participem da Enquete: Qual região do mundo vocês possuem mais vontade de visitar?

Quer compartilhar informações ou opiniões? É só me mandar um e-mail: robertavonzastrow@gmail.com

^^

Read Users' Comments (0)

Convento de Mafra


Já ouviram falar no convento de Mafra, em Portugal? Não? Pois saibam que este convento tem muito mais a ver com o Brasil do que vocês imaginam.
Fiquei sabendo desse convento quando meu namorado, que está lendo o livro A Ira de Deus, que relata o terrível terremoto que ocorreu em Portugal, no ano de 1755, me contou que esse convento foi construído com riquezas que os portugueses tiravam do Brasil no período colonial. Isso mesmo! Se quisermos recuperar boa parte da nossa riqueza, é só “carregar” pra cá o convento de Mafra.
Bom, vou contar melhor a história. Quando o Brasil ainda era colônia de Portugal, e predominava o cultivo da cana de açúcar, Portugal acabou começando a ter uma baixa considerável nos lucros ligados a essa fonte de renda, já que essa prática passou a se tornar comum dentre as grandes potências, aumentando dessa forma a concorrência. Alguma providência, portanto, precisava ser tomada para que o lucro voltasse a ser alto. Sendo assim, os portugueses começaram a explorar com mais afinco o interior da colônia Brasil, encontrando, onde hoje é o Estado de Minas Gerais, riquezas minerais como ouro e diamantes. Essa descoberta fez o até então rei de Portugal, D. João V, enriquecer de forma abrupta, e não seria estranho se toda essa riqueza não tivesse lhe subido à cabeça.
A mais suntuosa providência tomada por D. João V com relação a sua riqueza, foi construir em Mafra, terreno plano que fica a 40 km ao norte de Lisboa, um Palácio-Convento, que reuniu um charmoso estilo barroco e inúmeras riquezas. Um de seus objetivos era superar o Palácio dos Reis da Espanha e a Catedral de São Pedro, no Vaticano. Foram encomendadas estátuas de Roma, e 45 mil trabalhadores de toda a Portugal, chegando a paralisar o país durante sua construção, uma vez que as terras ocupadas por esses trabalhadores deixaram de ser cultivadas. O trabalho na obra envolvia dias e noites de muita dedicação, e cerca de 6 mil soldados vigiavam-nos para que tudo fosse construído a pleno vapor.
Com a dificuldade que se estabeleceu no país devido à falta de cultivo e de trabalhadores disponíveis, sem contar as perseguições da Inquisição, boa parte da população portuguesa saiu de Portugal em busca de uma vida melhor no Brasil.
Realmente o Palácio-Convento foi construído bem rápido, e sua bela e suntuosa construção até hoje causa a admiração de muitos turistas que visitam a região. D. João V e sua esposa nunca chegaram a dormir lá, procurando o local apenas para descanso e caça, porém reis posteriores usufruíram bastante do espaçoso e dos mais de cem quartos presentes em seu interior.
Felizmente o Convento de Mafra não sofreu danos com o terremoto de 1755, e está disponível para ser apreciado até hoje, em Mafra.
Quem gostou da história e quer mais informações, leia o livro A Ira de Deus, do autor Edward Paice. Além de uma pincelada sobre Mafra, o livro tráz a história de Portugal, e sua devastação pelo terremoto.

Quem tiver alguma história interessante para contar, me mande um e-mail: robertavonzastrow@gmail.com

^^

Read Users' Comments (2)

Diferenças Culturais


Resolvi falar sobre diferenças culturais nesse post, como resultado de acontecimentos no meu fim de semana. Tem certas coisas que você vê e ouve falar que te fazem refletir mais sobre pessoas e fatos que nos cercam, nos fazendo ter plena noção de que tem horas em que julgamos o que é diferente de nós, sem saber o porque de todas essas diferenças. Se formos pensar bem, já somos diferentes daqueles em que moram na mesma casa que nós, sem falar então nos que moram no mesmo bairro, cidade, país e até em outros continentes. Todos sabemos disso, mas é realmente, na prática, difícil lidar com o que é diferente, e assim os desentendimentos e divergências culturais acabam existindo. E dessa forma começamos a julgar as pessoas, sem saber o que vem por trás de toda essa diferença.

Essa corrente de pensamentos começou ontem, durante a minha aula de alemão. Estávamos eu, Ju, Bárbara e João conversando sobre Natal. O João já morou por um ano na Alemanha, e a Bárbara morou por 6 meses no Canadá. Todos sabemos que é tradição no Natal, aqui no Brasil, a família toda se reunir na casa de algum parente, no dia 24 de Dezembro, e fazer aquela festa, com músicas, comes e bebes, ceia à meia-noite, reza e troca de presentes, com muitos abraços e contato físico. Perguntei então ao João como foi seu Natal na Alemanha, e como a família alemã costuma comemorar. Ele me disse que a as famílias também se reúnem no dia 24, mas que lá é de lei ir antes à Igreja, coisa que nem todas as famílias fazem por aqui, à meia-noite ceiam, trocam presentes, e logo vão dormir. Nada de festas longas e muito barulho. Já a Bárbara disse que seu Natal no Canadá foi um pouco mais triste. Disse que a cidade em que ficou se enfeita e prepara de forma maravilhosa para o Natal, mas que no dia 24 as famílias costumam não fazer nada. Ela me contou que ficou vendo filmes com sua mãe e irmã de intercâmbio, e que assim que acabou foram dormir, sem nada comemorar. Somente no dia 25 foram almoçar na casa de parentes, e aí sim rezaram e almoçaram. Tudo de forma bem formal, sem muitas delongas. Achei estranho e ela também disse ter se sentido triste nesse dia, mas parece que lá o natural é esse. Eles estranhariam bastante se viessem passar um Natal com nós brasileiros.

Passei o resto do sábado pensando nisso, até que à noite, antes de dormir, li um pouco do livro Berlin, 1945 que ando lendo. Meu namorado já o havia lido antes, e então costumamos conversar sobre alguns trechos que nos chamam a atenção. O livro retrata o pós guerra na Alemanha, ou seja, a ocupação dos aliados e as situações dificílimas pelas quais passou a população alemã. E justamente com relação a isso, meu namorado comentou que é devido a episódios como esse do pós guerra (estupros, roubos, assassinatos, agressões, e humilhações por parte dos aliados), e até mesmo durante a guerra (Nazismo e um ditador totalmente maluco e egoísta, como o Hitler), a população alemã, até hoje, é mais reservada e fria. Quando falamos de alemães vêm à cabeça de todos pessoas frias, arrogantes e sérias. Mas o que muita gente não sabe, é que são também pacientes e prestativos com quem chega de fora e fica perdido pela cidade ou tenta pronunciar a língua deles. É aí que temos que pensar que essa frieza e excesso de conservadorismo provavelmente deve-se há algum fato histórico. Fomos parar para pensar nisso ainda mais, após ler Berlin, 1945. Recomendo essa leitura, pois é através de fatos históricos que podemos perceber o que torna uma população com a cultura bem diferente da nossa.
Nós brasileiros nunca passamos por uma guerra em nosso território, mas estamos passando por uma guerra contra a violência, a corrupção e o tráfico. Será por isso que somos desconfiados? E se somos batalhadores e famosos por sempre darmos um jeitinho, será que é porque temos que nos virar, já que nosso país nem sempre consegue oferecer condições dignas a toda a sua população? Por outro lado, vivemos em um país ensolarado, bonito por natureza e sempre quente. Pode ser devido a isso também que somos alegres, falantes e calorosos. Já na Europa e Canadá o frio predomina em pelo menos 90% do ano, com tempo fechado. Podemos pensar que a seriedade pode vir a partir daí? Creio que sim, pois pesquisas dizem que o índice de suicídio nesses lugares é maior que em países tropicais. Dessa linha de raciocínio podemos tirar também conclusões sobre organização, pontualidade e formas de comemoração.

E hoje, vi um filme que só confirmou essa minha linha de raciocínio. O filme se chama O Contador de Histórias e se passa aqui em Belo Horizonte, na década de 70. No filme um menininho de rua acaba indo parar na FEBEM, por opção da própria mãe, e lá dentro acaba se tornando em um marginal e logo após em menino de rua. Sua sorte começa a mudar quando uma francesa que está no Brasil estudando resolve analisar sua história, para um trabalho na área pedagógica. Porém sua afeição pelo garoto a faz continuar ajudando, e o transforma em um homem honesto, estudioso e trabalhador. Hoje ele é considerado um dos dez maiores contadores de história do mundo. Dessa forma, fiquei pensando que o comportamento de toda uma vida pode mudar, se alteramos também o percurso de uma história. Se ficasse na rua como antes, poderia estar preso hoje. Como foi adotado e recebeu carinho, seguiu bons exemplos e aprendeu a ser uma pessoa de bem. E quem não pôde receber ajuda, que é o que acontece com a maioria? E quem realmente sofreu na vida, a ponto de se revoltar e partir para o lado criminoso? E quem realmente não tem outra opção?

Através desses três fatores em um final de semana, fiquei pensando que as diferenças existem, mas que por trás delas, existem histórias, existem porquês e existem divergências, e que nem sempre nosso destino depende de nós mesmos. Muitas vezes não temos escolhas, e em outras temos e seguimos, ou então deixamos de seguir pelo simples fato de que as circunstâncias não ajudam. Acredito que devemos pensar que devemos aceitar as diferenças, e que é um enriquecimento enorme para a alma ver o que tem por trás de cada história.

Obrigada, pessoal, pelos maravilhosos exemplos do fim de semana!
Se você tem uma opinião sobre esse assunto, deixe um recado ou me envie um e-mail: ro3086@yahoo.com.br

Até o próximo post!

Read Users' Comments (1)comentários

Romantismo em Lavras Novas


Hoje venho com uma dica de ouro para quem está a procura de um cenário perfeito para um descanso merecido junto daquela pessoa especial. Senhoras e senhores, eu estou falando de Lavras Novas, em Minas Gerais!
Todo mundo já sabe que o estado de Minas Gerais guarda entre suas montanhas as mais belas paisagens, certo? São cidades cercadas por montanhas, belas cachoeiras, arquitetura barroca, e cidades inteiras onde podemos respirar história. Opções não faltam, e quem conhece sabe bem do que estou falando. Cada cantinho de Minas fornece um atrativo diferente, de acordo com as necessidades e vontades de cada um, tendo algumas atrativos para todas. E quando os mineiros e visitantes querem saber de romantismo? Aí então, a maioria procura por Lavras Novas!
Lavras Novas pode ser considerada um município de Ouro Preto, a 118km da capital mineira. Com ruas e becos tranquilos, além de paisagens de tirar o fôlego, o pequeno vilarejo guarda para visitantes momentos inesquecíveis, e uma ótima oportunidade de descanso e de estar mais próximo da natureza! São serras, mirantes, cachoeiras - sendo uma delas inclusive chamada de Cachoeira dos Namorados - o parque do Itacolomi, represas e locais destinados a esportes radicais, tudo na mais perfeita condição para dias perfeitos de hospedagem.
E por falar em hospedagem, pousadas charmosas e românticas é o que não falta em Lavras Novas. São chalés e casinhas de madeira, ao estilo barroco, daquele jeito que qualquer casal romântico deseja: cortinas em estilo romântico nas janelas, lareira, aparelhos de fondue, fogão à lenha, cobertores, redes, banheiras de hidromassagem nas pousadas mais refinadas, aquele friozinho de inspirar qualquer um e, quando se abre a janela ao amanhecer, a vista é uma das serras, cobertas de neblina. Pássaros cantando, como Siriemas, também é comum por lá. São vários os casais que vão para lá, e todos voltam contando maravilhas do local.
Dentre tantas cidades aconchegantes que Minas oferece, Lavras Novas é mais um roteiro apaixonante, que com certeza vai atender as expectativas de qualquer casal que for visitá-la!
Para quem se interessou e deseja saber de maiores informações para uma futura visita, basta acessar o site abaixo:

http://www.lavrasnovas.com.br/

Até o próximo post!

Read Users' Comments (0)

Arraial D'Ajuda Eco Park


Estava me lembrando hoje desse paraíso chamado Arraial D'Ajuda Eco Park! Quem vai visitar Porto Seguro não pode deixar de pegar uma balsa pela manhã e passar o dia nesse maravilhoso parque! Com atrações para toda a família e com o título de parque aquático mais arborizado da América Latina, o espaço conta com atrações para todos os perfis e para todas as idades. Quem curte adrenalina pode apostar em atrações como Tonga, dois toboáguas fechados, onde você pode escolher descer de forma lenta ou mais rápida, o Quereimbaba, que são dois toboáguas abertos, com inclinação máxima e uma vista divina de todo o cenário local, incluindo o mar de águas claras de Arraial D'Ajuda, e onde atinge-se uma velocidade incrível na hora da queda, além do Tambau, que é onde podemos descer em uma bóia grande, com cerca de 5 pessoas. É uma ótima oportunidade para se divertir com toda a família e amigos. Há também uma excelente piscina com ondas, de águas mornas e ao som de muita música. Para quem prefere um sossego, pode optar pelo Rio Lento, onde pode-se deitar em uma bóia e deixar a correnteza te levar por um caminho bastante arborizado, com muita sombra e belas paisagens, sem contar a piscina-playground, com a oportunidade de prática de esportes dentro d'água, como vôlei, beteca e basquete aquático. Para quem gosta de esportes radicais, a melhor opção é encarar uma Escalada, o Arvorismo, Rapel ou Tirolesa, todos contando com muita segurança e equipamentos de proteção.
O parque conta com uma incrível infra-estrutura, como banheiros, uma lanchonete bastante grande e cheia de variedades, além de bares e barracas com os mais variados tipos de comidas e bebidas. Para quem gosta de lembranças, há um quiosque com as mais variadas opções, como blusas, chaveiros, bibelôs e cartões postais, tudo se remetendo ao parque.
Fui ao Arraial D'Ajuda Eco Park duas vezes, de duas que estive em Porto Seguro. Acho realmente um desperdício ir tão perto e não visitar esse pedaço de natureza, diversão e descanso. Vale realmente à pena, me deixando ótimas lembranças e fotos maravilhosas. Foi um incrível descanso em família, que quero repetir por muitas vezes, sempre que puder!
Para quem se interessou, vou deixar aqui o link do site, para maiores informações:

http://www.arraialecoparque.com.br/default.asp

Pessoal, agora o blog Beira do Caminho está também no twitter! Sigam e fiquem por dentro de tudo o que é relacionado a viagens! @Beiradocaminho_
Então, boa diversão e até o próximo post!

Read Users' Comments (0)

Inspirações de Walt Disney


Como uma eterna e incondicional fã de Walt Disney e suas obras, senti necessidade de elaborar um post levando em conta as várias inspirações que esse ídolo de muita gente, e seus estúdios, após sua morte, tiveram ao criar seus lindos e mágicos personagens! Andei lendo textos sobre lugares que foram usados como inspiração nos desenhos, e resolvi colocar aqui! Vamos lá então:

Castelo da Cinderela
O Castelo da personagem Cinderela, presente no parque Magic Kingdom, foi inspirado em um Castelo ao sudoeste da Baviera, na Alemanha. Isso mesmo, no castelo Neuschwanstein (em alemão, "Castelo novo Cisne de Pedra). É um castelo do século XIX, e considerado um dos maiores cartões postais da Alemanha.

Pinóquio
Este lindo filme Disney, tem como cenário uma pequena aldeia italiana, mas na verdade, seu cenário foi inspirado em uma aldeia medieval mais bem preservada da Europa, pertencente à cidade alemã Rothenburg-ob-der-Tauber. Walt Disney sentiu-se inspirado com suas janelas e portas pequenas, e foi neste cenário mágico que surgiu a ideia do cenário do filme Pinóquio.

Branca de Neve e os Sete Anões
Este belíssimo conto, que encanta todas as gerações tem sua versão original alemã, escrita pelos irmãos Grimm. Branca de Neve (em alemão Schneewittchen), tem uma versão original diferente da que conhecemos. No manuscrito original, uma rainha costurava, no inverno, ao lado de uma janela de negro ébano. Durante a costura, ela acaba costurando o dedo e três gotas de sangue caem na branca neve. Na mesma hora, a rainha pensou que se tivesse uma filha, ela gostaria de que fosse branca como a neve, rubra como o sangue e negra como o ébano. A partir daí, nota-se que a essência dessa linda história é a mesma, mas com essas diferenças, tidas como retoques por Walt Disney.

Zé Carioca
Este Papagaio com esteriótipo do brasileiro foi criado pelo próprio Walt Disney, em sua passagem pelo país. Sendo inspirado pelo jeito descontraído dos cariocas, e pelas piadas sobre papagaios que ganhavam as ruas na época, Walt Disney pensou no personagem tipicamente brasileiro dentro mesmo do Copacabana Palace Hotel. Esse personagem, mais do que mais uma belíssima crianção Disney, significa um elo entre Walt Disney e o Brasil.

Aladin
Aladin (em árabe ʻAlāʼ ad-Dīn) foi um personagem inspirado e criado de acordo com a mais famosa obra árabe, As Mil e uma Noites. Inclusive a história do desenho se passa na Pérsia, atual Irã, na Arábia. Através do desenho podemos conhecer as crenças, costumes e belas paisagens do local.

Hércules
Nome dado pelos antigos romanos aos heróis da mitologia grega. Daí veio o nome de mais um corajoso e encantador personagem Disney!

O Corcunda de Notre Dame
O Corcunda de Notre Dame teve inspiração o livro Notre-Dame de Paris, do autor Victor Hugo. Não preciso nem falar que a história tem como cenário a tão sonhada Paris de todos!

O Rei Leão
Esse lindo filme tem como cenário o coração da savana Africana, sendo os personagens os mais variados animais que compõe esse tipo de ambiente. É um aprendizado e tanto para a criançada!

Mulan
Narrando a lenda de Fa Mulan, essa história tem como cenário a China e seus Costumes, no período da China Imperial e a construção da grande muralha.

Bom, pessoal... o que eu sei que levou Walt Disney e sua equipe a se inspirarem foram esses! Bastante curioso né? Se alguém souber de mais alguma inspiração que eu não citei aqui, é só me enviar um e-mail! Participem!
Espero que tenham gostado!

Até o próximo!

Bibliografia: Wikipedia e Revista Viaje Mais

Read Users' Comments (4)

Sentimentos em um Aeroporto


Hoje meu post será mais sentimental do que informativo, mas prometo não fugir do ponto principal deste blog!
Estive hoje com meu namorado no Aeroporto Internacional Tancredo Neves - para quem não sabe, Aeroporto de Confins, aqui em "Belo Horizonte". O aeroporto, seja ele qual for, me fascina desde pequena. Quando era criança costumava visitar o Aeroporto Carlos Drummond de Andrade - Aeroporto da Pampulha - mas como todos sabem, a grande maioria dos vôos de lá foram transferidos para o Aeroporto de Confins, devido a um considerável aumento no movimento. E como o Aeroporto da Pampulha é menor, não estava comportando todo esse volume, havendo portanto a necessidade da transferência.
O meu fascínio por aeroportos envolve tudo, o aeroporto em si, o movimento de pessoas, os barulhos dos auto-falantes, os painéis eletrônicos indicando qual vôo chega e qual vôo sai e, principalmente, os aviões e seus barulhos de turbina imponentes e que anunciam sua chegada ou sua partida. Eu gosto muito de aviões e seus mais diferenciados modelos e suas mais diferenciadas empresas atuantes. Cada parte do mundo tem sua marca singular e eu creio poder diferenciar umas das outras só pelas suas cores. Não sei explicar porque gosto tanto de aviões em si, mas creio que seja pelo fato de achar incrível máquinas tão pesadas levantarem vôo e seguirem soberanas, por cima das nuvens, dando total poder ao homem de estar em um lugar do outro lado do oceano em questão de poucas horas. Não há mais distância que não possa ser encurtada. Há quem não goste de viajar por esses meios. Tá certo que se cair, dificilmente alguém sobrevive, mas em comparação com o tanto de aviões que circulam pelo céu a todo segundo no mundo todo, é uma porcentagem desprezível. Mas cada um tem seus medos e isso não pode ser discutido, certo?
Hoje, enquanto andava pelo aeroporto, fiquei pensando o que ele representa em nossas vidas, a não ser o lugar onde aviões e pessoas transitam. Em um aeroporto, se prestarmos bem atenção, veremos de tudo: pessoas correndo para não perder seu vôo, pessoas impacientes na fila do check in, outras ansiosas para embarcar, ou até mesmo esperando alguém chegar. Há aquelas que estejam tristes por ver aquela pessoas querida partir, ao mesmo tempo em que outras estão tomadas de emoção por ver uma pessoa especial chegar! Há a alegria de viajar com a família e ter aquele merecido descanso, e também a preguiça e dor por estar viajando à trabalho, tendo que ficar longe daqueles que ama. Minha gente, o aeroporto, assim como uma rodoviária ou uma estação de trem, são lugares das mais fortes emoções, e isso hoje me fez pensar muito no quanto um lugar pode fazer essa diferença e causar as mais variadas sensações em alguém.
Pensei nisso tudo, pois senti na pele novamente as duas maiores emoções que tive no ano passado, que tiveram como palco o mirante do Aeroporto de Confins, quando me despedi do meu namorado que viajava para a Europa em um avião da TAP. Chorei como criança ao vê-lo partir, e chorei também ao ver seu avião aterrissar, trazendo-o de volta para mim. No mesmo lugar em que tudo me pareceu sem sentido, a felicidade voltou a ser completa, duas semanas depois. E enquanto eu o recebia na maior alegria, outros se despediam tristemente de seus parentes, que estavam embarcando em um American Airlines. E hoje, no mesmo Mirante dos sentimentos, vi um avião da TAP levar mais vários passageiros, parentes, pessoas queridas para o outro lado do Oceano Atlântico, deixando várias pessoas desoladas, com cara de paisagem vendo o avião ficar pequeno no imenso céu nublado, enquanto um jato da Gol chegava, deixando tantos outros eufóricos e ansiosos para ganhar um abraço há muito tempo não dado.
Em outras épocas, experimentei também sentimentos de tranqüilidade e felicidade por viajar com minha família, e aproveitar momentos com certeza inesquecíveis ao lado deles.
Eu não tinha hoje ninguém chegando ou partindo. Tinha ali comigo meu namorado abraçado a mim, minha família e amigos por perto, mas isso não me impediu de ser tomada pelos mais diversos sentimentos. Foi uma mescla de vários, mas o maior de todos foi um desejo, uma vontade de passar por todos eles ao mesmo tempo, enquanto a minha próxima parada, após Confins, for o outro lado do Oceano Atlântico, onde deposito sonhos, esperança e uma vontade de sempre passar por tudo isso de novo e de novo, toda vez que for e voltar!
Gosto de rodoviárias, estações de trem e principalmente aeroportos, pois são neles que colocamos à flor da pele os mais variados sentimentos e emoções que vivem dentro de nós, e onde são nossa porta de entrada para ampliarmos nossos conhecimentos e nossos mundos, que só nos engrandecem quando paramos para nos surpreender com tudo que é novo, e existe além de estradas, linhas férreas, e céus azuis. Além do nosso horizonte!

Até a próxima com um post não-sentimental... ou não, né! ;)

Read Users' Comments (1)comentários

A lindinha Blumenau


Pessoal, na Veja da semana passada, coicidentemente, saiu uma reportagem sobre o Terramoto de Lisboa! Está bem interessante, e para quem gostou do assunto, é uma ótima oportunidade para saber um pouco mais dessa triste história de Lisboa!

E hoje me deu uma grande vontade de falar sobre a lindinha Blumenau!
Eu fiquei simplesmente muito encantada com Blumenau! Para quem não sabe, "Blumen" em Alemão, é Flores! A partir daí já dá para imaginar o quanto Blumenau é linda, né? As ruas são religiosamente limpas, cuidadinhas e cheias de flores! A arquitetura alemã presente em toda a cidade é de encher os olhos, e dessa forma podemos notar o quanto a cultura e costumes alemães ainda persistem por lá, afinal, é uma cidade colonizada por alemães.
Enquanto andava por lá, pude notar senhoras conversando em alemão, além de músicas típicas ecoando pelos cantos! É mais presente na Vila Germânica, que por sinal foi o que mais me encantou!
A Vila Germânica é onde encontramos o que mais caracteriza Blumenau, tudo reunido em um único espaço! Prédios súper lindos, lojinhas vendendo as mais diversas lembrancinhas alemãs, inclusive canecos muito utilizados na oktoberfest, além de chocolates típicos, músicas e gente vestida a caráter. O dia em que fomos estava vazio, pois estava chovendo de leve, além de ser carnaval, mas creio que isso nos ajudou a aproveitar ainda mais a Vila, com calma e observando cada detalhe! Entramos em todas as lojinhas, comprei postais para minha coleção, blusas, canecos de cerveja e lembranças em geral. Se dependesse de mim, teria levado a vila toda! Como eu não sabia alemão na época, deixava para Tiago traduzir as placas, escritas de um lado em alemão, e do outro lado em Português. É inclusive uma ótima oportunidade para se treinar a língua alemã fora da Alemanha! Eu simplesmente amei!
Em Blumenau também encontramos o Museu da Cerveja, com maquinários e artefatos utilizados para a fabricação da bebida, desde os tempos em que foi inventada, além de exposição de fotos da Oktoberfest e sua história. Vale muito à pena conferir!
Pelas ruas têm placas que explicam as enchentes de 1983 e 1984, e as várias consequências para a cidade. Isso é um assunto muito curioso e interessante que vou abordar em outro post. Quem também não se lembra das enchentes de 2008? Pudemos ver vários estragos pela cidade enquanto caminhávamos. Parece que Blumenau sofreu bastante, além de ser propícia para receber esse tipo de fúria da natureza. É uma pena, porque a cidade é tão linda, limpa e arrumadinha, que é até pecado a água levar tudo embora, destruindo o que a história foi montando, desde a colonização européia!
Bom, quem quiser visitar Blumenau e adora uma farra, a oportunidade é em Outubro, na tão famosa Oktoberfest, que ocorre na Vila Germânica! Não estive presente no evento, mas já li muito sobre ele, inclusive que podem ser encontradas pessoas do Brasil inteiro, além de ser a melhor forma de saber como é a tradicional festa em Munique, na Alemanha. Já vi também que a CVC vende pacotes para a Oktoberfest!
Visitem Blumenau! Será uma inesquecível e maravilhosa viagem!

Mais curiosidades no próximo post!
Até lá!

Read Users' Comments (0)

O dia em que Lisboa tremeu!


Imagine só você tranquilo, no auge do ano de 1755, quando o chão que você pisa começa a tremer de uma forma que construções desabam, pegam fogo, caem em cima de pessoas, e você mal consegue se sustentar em pé para reagir. Imagine que você, ao conseguir manter-se em pé e fugir para longe desse caos, indo em direção ao litoral, depara-se com um tsunami de mais ou menos 20 metros de altura, que afoga a todos que tiveram a mesma ideia que você, causando milhões de mortes e ainda mais destruições. Terríve, né? E foi exatamente isso que aconteceu em 1755, no terramoto de Lisboa.
No dia 1 de novembro de 1755, Lisboa viu-se arrasada pelo sismo considerado o mais mortífero da história, tendo causado, certamente, mais de 10 mil mortes. Cidades visinhas também puderam sentir o tremor. Além de catastrófico, esse terramoto, como é chamado pelos portugueses, foi um divisor de águas no que diz respeito à política e ao aspecto sócio-econômico de Portugal, no século XVIII, uma vez que, a partir de então, começaram a surgir os primeiros estudos de sismos, dando origem à sismologia. Além disso, esse ocorrido foi largamente discutido por Iluministas, como Voltaire, por exemplo.
É... Lisboa precisava reerguer-se, mesmo estando reduzida a destruição e corpos espalhados pelas ruas. A cidade foi praticamente toda destruída, e isso precisava ser superado. Foi aí que Barão de Cocais começou a ser um símbolo de luta pelo povo lusitano, pois foi ele que tomou a iniciativa de reeguer Lisboa das cinzas, mesmo quando tudo parecia estar perdido! Organizou uma "limpeza" na cidade, levantando escombros, retirando cadáveres e refazendo construções, além de tentar preservar as poucas que ainda restaram. Alguns documentos e estruturas foram totalmente perdidos, como os documentos das viagens marítimas, mas infelizmente nem tudo pôde ser recuperado.
A sociedade, extremamente católica, também ficou muito abalada, pois a tragédia aconteceu no dia primeiro de Novembro, Dia de Todos os Santos. Então uma sociedade com essas características, não teria como não ficar muito abalada, e isso, infelizmente, repercurte até hoje.
Com essa iniciativa de Barão de Cocais, a mudança política mencionada ocorreu, já que ele se transformou no símbolo de confiança e apoio dos portugueses, tanto que foi construída uma enorme estátua dele, no centro da cidade, destacando sua grande importância para uma cidade e nação, tão importantes no cenário mundial.
Essa foto foi tirada pelo Tiago, meu namorado, e ele simplesmente ficou encantado com a cidade de Lisboa, dizendo que é muito bonita, organizada e preservada. Taí a explicação à adoração por Barão de Cocais, já que ele conseguiu transformar uma das piores tragédias da história em um passado longíquo e indolor.
É essa a história catastrófica de Lisboa que muitos não conhecem.
Quem gostou e quer sugerir uma nova história, me escreva: robertavonzastrow@gmail.com

Até a próxima!

Read Users' Comments (0)

Mineirão


O post de hoje é em homenagem ao nosso querido Mineirão, ou Estádio Governador Magalhães Pinto, segundo maior estádio de futebol do Brasil, e o vigésimo nono no mundo! Resolvi fazer essa pequena homenagem ao Mineirão, porque a partir de hoje ele ficará fechado 3 anos para reformas, ficando pronto, dessa maneira, para a Copa do Mundo de 2014. Hoje ocorreu nele o jogo do Atlético/MG contra o Ceará, seu último jogo durante este período, e no final, suas luzes todas foram apagadas, e houve um bonito espetáculo pirotécnico. Por um momento me deu uma certa tristeza de saber que o Mineirão ficará fechado por tanto tempo, já que os mais belos espetáculos do futebol brasileiro se dão nele, além de shows que ocorrem lá periodicamente. Inclusive não concordo muito com shows de música no Mineirão, mas isso é outro assunto.
Eu costumo ir ao Mineirão desde pequena, com minha família. Sou Atleticana e adorava entrar no clima, assistir aos jogos e cantar junto com a torcida. Xingava também, porque não. Com o passar do tempo, passei em espaços maiores de tempo, mas nunca deixei de admirar e valorizar um jogo assistido lá dentro. Vejo ele daqui da varanda de casa, e sempre que olho para ele em um dia de jogo, me dá uma incrível vontade de ir.
Esse ano fui uma única vez, com minha família e namorado, no jogo Atlético x Chapecoense, pela Copa do Brasil, quando o galo ganhou de goleada. Mas o bom mesmo é ir em um clássico Atlético x Cruzeiro, que é quando o sangue costuma ferver de verdade! Fui uma única vez e digo que a sensação é maravilhosa! Esses dois times mineiros formam um dos principais rivais do mundo, mexendo com os nervos e emoções de qualquer torcedor. Belo Horizonte acaba por ser dividida em duas: atleticanos e cruzeirenses, que só querem saber de defender as cores do time, não importando se o rival é o pai, a mãe, o(a) namorado(a), o irmão ou o melhor amigo. Em dia de Atlético x Cruzeiro, meu amigo, qualquer um que não vestir a mesma camisa que você, será seu rival. A cidade vira uma sinfonia de foguetes, e gritos de "Galooooo" ou "Zeroooooo" ecoam por todos os cantos. A galera que não consegue ingresso para ir ao Mineirão se reúne na casa de alguém para simular pelo menos um pouco estar no estágio, e a tensão toma conta durante os 90 minutos. Para muitos, o rádio é a melhor opção, com narração dos jogos ao vivo, pela Rádio Itatiaia. Enquanto o Mário Henrique “Caixa” narra os jogos do Atlético, o Alberto Rodrigues narra os do Cruzeiro. Muitos não conseguem acompanhar um jogo sem o radinho na orelha.

Essa rivalidade é tamanha que, durante os anos, foi convencionado que atleticanos se dirigem ao estádio pela Antônio Carlos, enquanto que Cruzeirenses vão através da Avenida Carlos Luz. Essa separação de torcidas têm o intuito de diminuir um pouco as brigas, que infelizmente compõe a violência que ainda é um triste quadro desses dias de clássico. Dentro do Mineirão as duas torcidas cantam o tempo todo, e só terminam com o apito final. No dia seguinte, as cores do time ganhador colorem a cidade em um só tom.

Esse belo espetáculo tem como palco nosso querido Mineirão, que tanto já presenciou festas, alegrias, choros, confusões, belos espetáculos e um incrível amor que muita gente tem pelo time do coração. Com certeza, nesses 45 anos de existência do Mineirão, ele ficou sendo a segunda casa de muita gente.

Nesse período de obras que ficar fechado, com certeza fará muita falta, mas teremos a certeza de que reabrirá em 2013, muito mais moderno, bonito, confortável, e pronto para receber o maior dos espetáculos: A Copa do Mundo de 2014!

Valeu Mineirão!!!

O Mineirão em números:
-Esatádio Governador Magalhães Pinto – Mineirão
-Inauguração: 5 de Setembro de 1965
-Capacidade: 75.783
-Equipes Mandantes: Atlético Mineiro e Cruzeiro Esporte Clube
-Localização: Belo Horizonte, região da Pampulha
-Eventos que costuma receber: Além de jogos de futebol, shows como Axé Brasil e Pop Rock Brasil
-10 maiores records de público:
*4 de Maio de 1969 - 123.351 - Atlético 0-1 Cruzeiro - Campeonato Mineiro
*9 de Outubro de 1977 - 122.534 - Cruzeiro 3-1 Atlético - Campeonato Mineiro
*26 de Outubro de 1980 - 115.983 - Atlético 1-0 Cruzeiro - Campeonato Mineiro
*13 de Fevereiro de 1980 - 115.142 - Atlético 2-1 Flamengo - Amistoso
*15 de Maio de 1983 - 113.749 - Atlético 0-0 Santos - Campeonato Brasileiro
*21 de Dezembro de 1976 - 113.715 - Cruzeiro 0-0 Bayern de Munique - Mundial Interclubes
*8 de Novembro de 1981 - 112.919 - Atlético 1-1 Cruzeiro - Campeonato Mineiro
*2 de Junho de 1968 - 110.432 - Atlético 1-2 Cruzeiro - Campeonato Mineiro
*15 de Dezembro de 1974 - 109.363 - Atlético 1-2 Cruzeiro - Campeonato Mineiro
*4 de Fevereiro de 1987 - 107.497 - Atlético 1-0 Flamengo - Campeonato Brasileiro

Nota:
1)Com a reforma do Mineirão, os jogos a serem disputados pelos times mineiros passarão a ocorrer no estádio Independência, pertencente ao clube América Mineiro, presente também em Belo Horizonte, assim como em estádios do interior do estado, como nos de Sete Lagoas e Ipatinga. Já os eventos musicais poderão ocorrer tanto no Independência, quanto no Mega Space, próprio para eventos dos mais variados tipos, localizado em Santa Luzia, cidade da região metropolitana de Belo Horizonte.
2)Para quem ficou curioso com relação a um clássico entre Atlético x Cruzeiro, basta assistir ao clipe da música É uma Partida de Futebol. Do gripo Skank. O clipe é antigo, porém gravado durante uma partida entre as duas equipes. A emoção continua a mesma. Assista aqui: http://www.youtube.com/watch?v=ftVoTWgSaQk


Até a próxima!

Fonte: Wikipedia

Read Users' Comments (2)

Prédios de Vila Velha/ES


No início deste ano estive em Vila Velha/ES, e uma coisa intrigou profundamente o Daniel, um amigo meu: a fachada dos prédios suntuosos de Vila Velha. A orla é cheia deles, todos muito bonitos e luxuosos porém, realmente há essa "pequena" singularidade, como pode ser visto na foto ao lado, onde nos três primeiros andares há varandas redondas no canto esquerdo da estrutura, enquanto nos outros andares superiores essas pequenas varandas redondas não existem. E esse é apenas um exemplo, pois essa peculiaridade se repete por toda a cidade, seja com varandas, janelas, cores ou revestimentos. Cada prédio é uma surpresa diferente, e no fim das contas passeávamos pelas ruas prestando atenção nos prédios, sempre olhando para o alto! Acaba que torna-se um fato curioso, pois em nenhuma outra cidade que visitei notei essas fachadas diferentes nos prédios. São sempre todos muito iguais e seguem um padrão. Inclusive, se um morador de um prédio daqui de Belo Horizonte quiser fechar sua varanda, transformando-a em uma área interna do apartamento, deve primeiramente consultar todo o condomínio, justamente porque essa atitude muda o padrão de fachada do prédio. Pelo menos aqui em Belo Horizonte é assim.
Essa curiosidade então é resultado das observações do Daniel Silqueira, que deve se perguntar até hoje porque os prédios de Vila Velha são assim. Ele dizia que eu devia postar essa curiosidade, para que alguém porventura pudesse ler algum dia, e nos explicar o motivo dessa segregação em matéria de design de fachada de prédios. Quem souber o motivo então, por favor, nos conte! =)
Daniel, demorou mas aí está o post! Grande abraço para você!

Mais curiosidades, aí vai meu e-mail: robertavonzastrow@gmail.com
Até a próxima!

Read Users' Comments (0)

Jornal Acontece e Revista Viaje Mais


Essa semana fiquei toda orgulhosa! O post "Observatório da UFMG" do meu Blog foi publicado no Jornal Acontece, da cidade de Caeté! O jornal costuma publicar matérias de Blogs que tratam da cidade, e o meu foi o selecionado da vez! Gostaria de agradecer ao Paulo pela atenção, e por inclsive ter me enviado uma cópia do jornal que, inclusive, é muito bom! Para quem quer conferir o Blog Beira do Caminho publicado, clique: http://www.caetenews.com.br/jornal/acontece/pagina08.html

Bom, gostaria de indicar também a revista Viaje Mais, do mês de Maio. É sobre a Alemanha, e tem mais de 30 páginas de lindas fotos e curiosidades incríveis para quem gosta do país, e pretende visitá-lo!
Uma cidade me chamou mais a atenção, que foi a Rothemburg ob der Tauber! Foi a cidade que inspirou Walt Disney a criar Pinóquio, além de ser uma das cidades medievais mais bem conservadas da Europa. Com vários castelos, ´construções com estilo gótico e ruelas típicas, a cidade é um museu a céu aberto, fazendo com que os turistas respirem história enquanto passeiam.
Só pelo que eu li, e pelas fotos, fiquei simplesmente encantada com a cidade. Aí vai a indicação então, para quem já está organizando uma visita à Alemanha, em breve! A cidade faz parte da famosa Rota Romântica, o que já diz muita coisa sobre ela!

Voltarei em breve com mais novidades! Entrem em contato comigo também pelo e-mail robertavonzastrow@gmail.com

Grande abraço a todos!

Read Users' Comments (0)

Observatório da UFMG


Dia primeiro de Maio fui com meu namorado em um lugar simplesmente fantástico! Para quem não conhece, aí vai a dica: Observatório da UFMG! Fica próximo à cidade de Caeté, na Serra da Piedade. Ao final do post vou colocar o endereço certinho.
Eu sempre ouvi falar do Observatório da UFMG, pois uma amiga minha costumava ir com o namorado dela, e me dizia que é um lugar muito romântico e que valia à pena ir. Fiquei com isso em mente, até que surgiu a oportunidade, e fui com o meu. Já na subida da Serra, já dá para paralizar com a vista, simplesmente maravilhosa! Estava mais no fim da tarde, e o sol dourado iluminava o horizonte de maneira ainda mais bela, revelando nos 1700 metros abaixo de nós a estrada que nos levou até lá, matas e Serras mais baixas. Tão bonito e inacreditável que tivemos que parar algumas vezes para tirar fotos. Já lá no alto, tive que vestir a jaqueta que havia levado, pois estava sem condições de ficar de blusa de alça. O vento gelado chega encostando em nossa pele parecendo rasgá-la, e isso piora, claro, com o decorrer da noite. Tanto é verdade que nosso rosto chegou a ficar vermelho. Ficamos muito encantados com a vista e com o pôr do sol, tirando muitas fotos. Essa acima é uma delas, que tiramos sentados em uma das belas pedras que havia lá.
Após apreciarmos a vista, fomos ao local onde se encontram os telescópios, inclusive o principal que, por sinal, gera uma fila imensa para se observar nele. Acabou que não conseguimos ir até ele, pois nossas senhas eram 190 e 191, além de estar muito úmido no dia, o que dificulta a visão dos visitantes. Mas nada disso atrapalhou nossa visita, que aproveitamos de outras formas, tirando muito mais fotos da vista (podíamos ver a cidade de Caeté lá de cima, toda iluminada, e a imponente Belo Horizonte mais à frente. Dá para ter uma noção de como estávamos no alto, né!), observando telescópios menores e secundários, onde pudemos ver, na região das 3 marias (cinturão de órion), uma nebulosa, onde nascem estrelas. Na verdade queríamos ver mesmo Vênus, mas uma nuvem pouco amiga entrou na frente dele e não pretendia sair tão cedo É incrível como temos a chance de poder ver tudo mais de perto.
Rondando por lá tivemos a oportunidade também de participar de uma aula onde o professor, apoderado de um potente laser, apontava para estrelas, constelações e para nossa via Láctea, explicando os nomes de cada uma, sua disposição no céu e curiosidades. Uma das informações que mais me impressionou, é o tempo que as estrelas estão daqui da Terra. A que está mais próxima de nós, é uma cuja luz demora 4 anos para chegar em nossos olhos, sendo que uma outra demora 88 anos. Achamos uma delícia infiltrar em uma aula tão diferente e interessante como essa!
Já na hora de ir embora, sentimos um frio realmente forte, e achamos que isso aconteceu pelo fato de uma nuvem passar por nós. Isso mesmo, vimos uma nuvem encobrir o local onde estávamos, levando um frio assustador. Foi uma outra experiência que adorei.
Enfim, recomendo muito uma visita ao observatório da UFMG. Uma coisa eu dou certeza, é ótimo para namorar! Para quem não tem namorado(a), a visita também é válida, já que é um passeio diferente e de encher os olhos, além de satisfazer o lado do conhecimento, no que diz respeito ao nosso misterioso espaço, assunto que interessa muito meu lindo namorado!
Para quem se interessou, aí está a forma como chegar lá:

A partir de Belo Horizonte pegue o anel rodoviário no sentido de João Monlevade. Siga em frente pela BR-381 (Antiga BR-262) até o trevo de Caeté. Entre à direita no sentido de Caeté até o trevo indicando o Santuário Nossa Senhora da Piedade. Entre novamente à direita até o alto da Serra (aproximadamente 5 km).
Distância do centro de Belo Horizonte ao Observatório: 50 Km

Aí vai também o site: http://www.observatorio.ufmg.br/
Importante ressaltar também que as visitas são abertas apenas nos PRIMEIROS SÁBADOS DE CADA MÊS!


Espero que tenham gostado da dica! Só lembrando que é melhor chegar no meio da tarde, pois pelo menos nós dois arrependemos um pouco de não ter chegado antes (chegamos aproximadamente às 17:30 da tarde).
Quem tiver mais alguma dica ou curiosidade, mande para mim! robertavonzastrow@gmail.com
Grande abraço e até a próxima ;)

Read Users' Comments (0)

Nomes das cidades de Minas


Pessoal, recebi um e-mail com um texto FANTÁSTICO! Ele é gigante, mas vale à pena ler. Trata-se de um autor, muito criativo por sinal, que escreveu um texto em formato de carta, com os nomes de grande parte das cidades do estado de Minas Gerais! Tudo que está em caixa alta, é nome de cidade mineira. Achei muito interessante e oportuno dividí-lo com vocês, afinal, com esse texto, podemos conhecer nomes de cidades que nem sabíamos que existiam, além de relembrar as antigas, em uma carta muito inteligente e bem escrita! Só sei de uma coisa: Minas é grande demais, sô!
Quanto ao autor do texto, infelizmente não tem seu nome junto a ele. Quem souber a autoria, por favor me fale para eu escrever aqui, ok? Aí vai então:


Prezado amigo TEÓFILO OTONI.
Nesta VIÇOSA manhã de primavera, de onde se contempla um BELO HORIZONTE, um CAMPO BELO e MONTES CLAROS, e, ainda, neste ambiente FORMOSO de nossa terra, quando se pode contemplar também, pela madrugada, a ESTRELA DALVA, escrevo-lhe para colocá-lo a par dos últimos acontecimentos.
No âmbito familiar, a nossa prima LEOPOLDINA, ESPERA FELIZ dar a LUZ a seu primeiro filho que, se for homem, se chamará ASTOLFO DUTRA e JANUÁRIA, se mulher. Para cuidar do rebento, ela contará com abnegação da sua governanta MOEMA. Mas, enquanto ela aguarda seu bebê, lava roupa tranqüilamente nas BICAS existentes em um RIO NOVO, afluente do RIO ACIMA, que passa pelas terras de DONA EUZÉBIA, naquele LARANJAL, perto da CAPELA NOVA, onde, na hora do RECREIO, a meninada sobe na PONTE NOVA, para pescar LAMBARI e PIAU e soltar PAPAGAIOS.
A prima NATÉRCIA comprou uma casa na rua ANTONIO DIAS, perto da casa do ANTÔNIO CARLOS. Você já sabia? Orou a Jesus de NAZARENO em agradecimento, ajoelhada aos pés da SANTA CRUZ DO ESCALVADO no alto do MONTE SIÃO, que fica lá para as bandas da GALILEIA, às margens do MAR DE ESPANHA.
Lembra-se daquelas pedras da tia MARIA DA CRUZ que você queria comprar? Ela resolveu vendê-las, menos a PEDRA AZUL, porque ela diz ser a mais bonita e valiosa.
Quanto aos aspectos sociais e religiosos, temos novidades.
Na próxima semana, o CÔNEGO MARINHO, da diocese de VOLTA GRANDE, vai fazer a Festa de SÃO TOMAS DE AQUINO. Se você quiser aparecer será um grande prazer. A nossa prima VIRGINIA é quem será a responsável pelo evento. Vai ter missa celebrada pelo reverendo local, CÔNEGO JOÃO PIO, em honra ao Santíssimo SACRAMENTO. De manhã, o bispo DOM SILVÉRIO irá crismar as crianças.
Depois haverá um show com o Agnaldo TIMOTEO e também com as TRÊS MARIAS. Em seguida, a Banda Musical SANTA BÁRBARA, sob a regência do maestro BUENO BRANDÃO, executará o GUARANI, de Carlos Gomes. Depois o Barão de COROMANDEL fará a saudação ao aniversariante. A festa era para ser no mês que vem, mas todas as datas do cantor estavam preenchidas. As primas SERICITA e AZURITA vão fazer a comida. Como prato principal teremos PERDIGÃO e PERDIZES à milanesa e PATOS DE MINAS ao molho pardo. De sobremesa teremos compota de MANGA, tendo sido escolhida a UBÁ, por ser mais saborosa, pêssego em CALDAS e, ainda, licor de PEQUI.
À noite, haverá um baile no OLIVEIRA Country Clube, ao som da orquestra do maestro MATIPÓ, tendo como principais solistas os renomados músicos IBIRACI ao saxofone e NEPOMUCENO ao trompete. Será uma boa ocasião para os convidados exercitarem os seus PASSOS ao ritmo de boleros e rumbas.
Mudando de assunto, na fazenda, fizemos algumas reformas.
O CURRAL DE DENTRO estava com o telhado estragado, com problemas no madeirame e tivemos que trocar as vigas. Desta vez colocamos CANDEIAS, por ser madeira de muita durabilidade, todas compradas do CORONEL XAVIER CHAVES. Com a sobra da madeira ainda reformei a PORTEIRINHA que dá entrada para o quintal. Estou também reformando a CAPELINHA de SENHORA DE OLIVEIRA, para comemorar o aniversário de LIMA DUARTE. Na festa estarão presentes o CORONEL MURTA, o PRESIDENTE WENCESLAU, o JOÃO MONLEVADE, o CORONEL FABRICIANO, o CAPITÃO ENÉAS, o BARÃO DE COCAIS, o Barão de BARBACENA, e várias outras personalidades. Dizem que até o TIRADENTES pretende comparecer. Mas ele ficou meio aborrecido, porque queria que a festa fosse em SÃO JOÃO DEL REI. Só não poderá comparecer o VISCONDE DO RIO BRANCO porque ele está em CAMPANHA política. Iremos cobrar um valor simbólico como entrada, para reverter em benefício dos desabrigados da chuva, mas apenas uma MOEDA de PRATA.
Vou lhe dar outra grande notícia.
Perto do ENGENHO NOVO, naqueles barrancos cheios de FORMIGA, um empregado nosso descobriu MINAS NOVAS de OURO BRANCO, OURO PRETO, ESMERALDAS e TOPAZIO, portanto será uma NOVA ERA e uma BOA ESPERANÇA para todos nós. Infelizmente, por causa dessa riqueza, a violência já começou a aparecer na região. Um homem de TRÊS CORAÇÕES foi morto por um garimpeiro, usando uma faca de TRÊS PONTAS, porque ele havia descoberto uma enorme TURMALINA e também uma pedra de RUBIM, de menor tamanho, mas muito valiosa.
Na área do desenvolvimento, a dona CONCEIÇÃO DO MATO DENTRO, proprietária da usina açucareira de URUCÂNIA, quer aumentar a fábrica e incrementar a produção de açúcar, mas para isso precisará de mais energia elétrica. Assim, tem um projeto de construir uma usina hidroelétrica aproveitando as quedas dágua da CACHOEIRA DO CAMPO, formada pelo rio PIRANGA, mas o senhor RESENDE COSTA, que é o chefe do IBAMA na região, quer embargar a obra, alegando impacto ambiental.
Falarei agora da nossa justiça.
Chegou um JUIZ DE FORA, chamado EWBANK DA CÂMARA, para ocupar o lugar de BIAS FORTES, que terminou o seu mandato. Mas o CONSELHEIRO LAFAYETE, acompanhado de RAUL SOARES, pediu ao GOVERNADOR VALADARES para interceder junto ao PRESIDENTE BERNARDES para efetivar naquele cargo o SENADOR FIRMINO, que muito fez por nós. Ele foi DESCOBERTO ainda novo, tanto que sequer usava sapatos, usava ALPERCATAS, quando estava na companhia do CORONEL PACHECO, na famosa LAGOA DA PRATA, depois daquela GOIABEIRA e daquela árvore de JANAÚBA da fazenda POUSO ALEGRE, onde tem aquela VARGINHA, às margens do RIBEIRÃO VERMELHO.
Ele se tornou um homem sério e honesto, sendo de muito valor para a nossa causa.
Quanto à lagoa a que me referi, dizem que ela contém ÁGUA BOA, tanto que o Aleijadinho teria se curado dos seus males tomando banho nela, por isso passou a ser chamada de LAGOA SANTA. Dizem que um cego também lavou os olhos naquelas águas e voltou a enxergar, mas ele atribuiu esse milagre a SANTA LUZIA.
Outro dia encontrei o BETIM, a MARIA DA FÉ e a ALMENARA nadando nas ÁGUAS FORMOSAS da LAGOA DOURADA, e lhe mandaram lembranças. A lagoa fica nas terras de PEDRO LEOPOLDO, onde ainda tem mais SETE LAGOAS.
Avisam que estarão viajando para ALÉM PARAÍBA no próximo feriado de SANTOS DUMONT.
Também lhe mandam um grande abraço o DIOGO VASCONCELOS e o JACINTO.
Agora, vou lhe contar as fofocas.
O FRANCISCO SÁ teve um desentendimento com o JOÃO PINHEIRO por causa daquela LAJINHA que faz o SALTO DA DIVISA das terras dos dois fazendeiros com as terras da MARIANA, às margens do Rio PARACATU, porque dizem que ali tem muita MALACACHETA.
A coisa andou quente. Um deles, não sei qual, queria agredir o outro com um MACHADO. Ainda bem que o coronel MATEUS LEME chegou na hora e evitou o PATROCÍNIO de uma morte desnecessária, e, ainda, promoveu uma NOVA UNIÃO dos dois.
Os índios AIMORÉS tentaram invadir a reserva dos índios MAXACALIS, armados de ARCOS e flechas, por causa daquela reserva de JEQUITIBÁ existente no PÂNTANO DE SANTA CRUZ, mas, felizmente, foram contidos pelas tropas da Polícia FLORESTAL comandadas pelo MAJOR EZEQUIEL, evitando um massacre sem precedentes. Os presos foram levados para o QUARTEL GERAL.
E tem mais.
O ELOI MENDES me contou, confidencialmente, que o Dr. CARLOS CHAGAS está de caso com a CONCEIÇÃO DAS ALAGOAS. A CÁSSIA, que é muito linguaruda, contou para a mulher dele, dona CRISTINA, que, imediatamente queria a separação e iria mudar-se para DIAMANTINA. Mas a dona MERCÊS, que é muito benquista por todos, conseguiu convencê-la a não tomar essa medida EXTREMA, e lhe propôs que aguardasse a chegada do seu primo, MARTINHO CAMPOS, que é um homem de mãos de FERROS, para ouvir o seu conselho. Ele achou que seria uma missão muito ESPINOSA, mas, ainda assim, aceitou o desafio. Sendo ele também um homem ponderado, sugeriu ao marido que pedisse PERDÕES à sua esposa, na presença do PADRE PARAÍSO, e assim foi feito e tudo teve um BONFIM.
Depois desta CONTAGEM dos fatos, damos graças a SENHORA DOS REMÉDIOS, SANTO ANTÔNIO DO AMPARO, SANTO ANTÔNIO DO GRAMA e SÃO TIAGO, que têm sempre protegido a nossa família, para que nossas lutas tenham sempre um BOM SUCESSO.
Terminando, receba um forte abraço do seu primo,
MATIAS BARBOSA.


Muito legal, né? E o que eu mais admiro é a criatividade de quem escreveu isso! Está de parabéns!
Quem tiver algo interessante para ser postado aqui, pode enviar para o robertavonzastrow@gmail.com. Vou adorar receber!
Até a próxima!

Read Users' Comments (0)

Verticalização da Pampulha


Esses dias, no trânsito, enquanto ia para a aula, vi em um carro, o adesivo da imagem ao lado. Me chamou a atenção essa forma de protesto, e realmente já ouvira falar várias vezes de possíveis modificações na região da Pampulha. Procurei ler um pouco mais sobre o assunto, e vi que esse protesto teve seu auge no ano de 2008, mas que até hoje assombra os moradores dessa região tão linda da cidade.
Morei por vários anos no bairro São Luiz, perto do aeroporto da Pampulha, e posso dizer que é o bairro mais tranqüilo de Belo Horizonte. Bastante arborizado, com casas lindas e tranqüilas, tendo a lagoa para dar um ar mais “campestre” a essa região, a Pampulha oferece ao Belo Horizontino uma oportunidade de relaxar e curtir um espaço com cenário diferente de outros pertencentes a bairros como Belvedere, Funcionários, Buritis e Serra, onde predominam o cenário urbano, cheios de prédios muito altos e luxuosos, mas com muito pouca vegetação. Como ex moradora do bairro São Luiz posso dizer que o maior orgulho de quem mora na região, é curtir um ar mais fresco, caminhar em volta da lagoa e morar em casas com vistas que não sejam atrapalhadas por prédios. Não é à toa que em finais de semana, o movimento na região da lagoa aumenta consideravelmente, com pessoas buscando áreas tranqüilas para pedalar, caminhar, ou seja curtir com os filhos no parque guanabara ou no parque ecológico. O que aconteceria então se a região arbórea que BH tem como referência, dona de obras de Oscar Niemayer, sofresse uma verticalização, construindo prédios altos e aumentando o comércio de uma área residencial?
Bom, parece que por hora o projeto de Verticalização da Pampulha está descartado. Digo por hora, porque ouvi argumentos para dar continuidade ao projeto, como Copa do Mundo de 2014. Como haverá jogos da Copa no Mineirão, e este está localizado na região da Pampulha, estão avaliando a necessidade de instalações de hotéis próximos à lagoa da Pampulha, facilitando o acesso de turistas ao estádio. De certa forma isso tem sua importância realmente, mas não foi após a decisão de jogos da copa realizados no Mineirão que essas idéias começaram a surgir. Isso vem de antes, de oportunistas imobiliários.
Necessidades de se ampliar o comércio existem, mas temos que avaliar também se não vamos estragar e modificar o cartão postal mais belo de Belo Horizonte, na minha opinião e, além disso, estragar o orgulho dos moradores da região da Pampulha que, em sua maioria, moram por lá geração após geração.

Votem na enquete, dando a sua opinião sobre a verticalização da região da Pampulha.
Qualquer sugestão de post, me mandem um e-mail: robertavonzastrow@gmail.com

Até a próxima!

Read Users' Comments (0)

Os dois lados da Cidade Luz!



Paris... ahhh, Paris! Todo mundo sonha em ir, conhecer a Torre Eiffel de perto, Museu do Louvre, Sacre Coeur, fora também o glamour, as luzes que dão o apelido á cidade e toda a pompa que envolve entrar em um avião e ir parar nessa cidade que aparece em tantos filmes, em tantas fotos e a todo o luxo que pode existir! Bom, tudo bem! A princípio a cidade merece, certo? Não há quem negue que se trata de uma cidade bem planejada e estruturada (inclusive Belo Horizonte foi inspirada nela), mas estamos falando também da capital de um país de primeiro mundo, com belíssimos monumentos, cheirando a história. Isso tudo é verdade! Mas acontece que, como tudo na vida, Paris tem dois lados, e é isso que esse post de hoje vai trazer para nós.
Meu namorado Tiago esteve em Paris em Dezembro do ano passado, e me revelou dados que não posso deixar de fora, até porque todos precisam saber que Paris é realmente linda, mas também tem seus vários defeitos, e que defeitos! Que bom, estamos falando de uma cidade normal! Vamos acompanhar então o lado "dark" de Paris, capital francesa!
Quem não gosta de um friozinho? Uns mais, outros menos, mas todo mundo na certa aproveita um friozinho para namorar, comer alguma coisa quente e colocar roupas mais confortáveis e elegantes. Em Paris dá para fazer tudo isso, porém, segundo ele, sentindo um frio que ultrapassa a barreira do romantismo e dos agasalhos confortáveis. Os ventos frios chegam a queimar a pele, deixando as pessoas desconfortáveis e impacientes. Esses ventos mais fortes têm ligação, é claro, com o Rio Sena que passa pela cidade, e com certeza não dá desconto nenhum para turistas do mundo todo, principalmente para turistas de áreas tropicais. E olha que quando ele foi, ainda não estava nevando! Estava só começando.
Para os vidrados na Torre Eiffel, que tal conhecer sua história e ver a cidade lá do alto dela? Parece ótimo, certo? Mas tem um pequeno problema: aguentar o frio do vento gelado, que atinge a torre e quem está nela a quilômetros por hora. Foi esse vento gelado que fez Tiago e Gabriel (seu amigo) descerem correndo do segundo andar da torre. Não que Tiago não goste de frio, pelo contrário. Ele e eu amamos um tempo frio, mas segundo ele, o frio de lá chega a ser insuportável. Esse já é um ponto que atrapalha o turismo da cidade nessa época.
Outro ponto interessante colocado por ele, é a sujeira nas ruas de Paris. Logo que chegou na cidade, andou por ruas extremamente sujas, cobertas de restos de comida e verduras estragadas. Esse tipo de sujeira ele viu em ruas mais esconddidas e menos conhecidas da cidade, porém, em ruas mais conhecidas como Champs Elysees e em muros de proteção para descer para o metrô, Tiago vou outros tipos de sujeira, como restos de Mc Donald´s e embalagens. Convenhamos que para uma cidade que é reconhecida e visada no mundo todo, e para cidadãos tão refinados e educados, faltou aí uma preocupação bem maior no que diz respeito à visão dos turistas, né! Isso acaba sendo decepcionante para todos nós.
Um outro ponto bastante mencionado por Tiago, é o caos que reina nas ruas de Paris. Ele relatou que o que se ouve o tempo todo são buzinas ininterruptas e de deixar qualquer um nervoso! Para todo lado que se olhe também, é possível ver trânsitos caóticos, muitos carros e engarrafamentos a perder de vista. Lembro que ele me ligou de lá e a primeira coisa que me contou foi que contemplou o Arco do Triunfo até sem paciência, devido ao businaço que havia por perto. E o mais grave, parece que o parisience não se importa muito com seu pedestre. Digo isso porque, segundo ele, eles avançam o sinal de trânsito, mesmo estando ele fechado, além de ficarem acelerando e apavorando quem está atravessando a rua. Não se pode confiar em sinal verde para pedestres.
Como foi visto aqui, Paris acaba sendo uma cidade com seus problemas como outra qualquer. Sei que parece ser lindíssima e encantadora para quem a visita, e sei também que todos têm consciência de que não existe um lugar perfeito, mas acho importante ressaltarmos pontos negativos e o que precisa ser melhorado em cidades tão visadas e tidas como intocáveis pela maioria das pessoas. Não achamos críticas e pontos negativos como esses em qualquer lugar, afinal, uma cidade tão atraente, luxuosa, com suas riquezas culturais, exibida em filmes e várias lojas de jóias em um mesmo espaço são avaliadas como uma viagem de alto padrão, não ganhando espaço para críticas. Mas esse relato do Tiago foi importante para percebermos como em certos aspectos, nos parecemos muito mais do que imaginamos.
Só para finalizar, um dos elogios feitos por Tiago, foi o serviço de transporte da Air France, o Le Cars, que possui ar quente e deixa na porta, valendo cara euro pago.

Espero que tenham gostado desse outro lado de Paris, relatado por poucos.
Quem tiver mais alguma curiosidade de um lugar visitado e quiser compartilhar com a gente, é só enviar para robertavonzastrow@gmail.com. Sua história será publicada aqui!
Até a próxima!

Read Users' Comments (2)