Sentimentos em um Aeroporto


Hoje meu post será mais sentimental do que informativo, mas prometo não fugir do ponto principal deste blog!
Estive hoje com meu namorado no Aeroporto Internacional Tancredo Neves - para quem não sabe, Aeroporto de Confins, aqui em "Belo Horizonte". O aeroporto, seja ele qual for, me fascina desde pequena. Quando era criança costumava visitar o Aeroporto Carlos Drummond de Andrade - Aeroporto da Pampulha - mas como todos sabem, a grande maioria dos vôos de lá foram transferidos para o Aeroporto de Confins, devido a um considerável aumento no movimento. E como o Aeroporto da Pampulha é menor, não estava comportando todo esse volume, havendo portanto a necessidade da transferência.
O meu fascínio por aeroportos envolve tudo, o aeroporto em si, o movimento de pessoas, os barulhos dos auto-falantes, os painéis eletrônicos indicando qual vôo chega e qual vôo sai e, principalmente, os aviões e seus barulhos de turbina imponentes e que anunciam sua chegada ou sua partida. Eu gosto muito de aviões e seus mais diferenciados modelos e suas mais diferenciadas empresas atuantes. Cada parte do mundo tem sua marca singular e eu creio poder diferenciar umas das outras só pelas suas cores. Não sei explicar porque gosto tanto de aviões em si, mas creio que seja pelo fato de achar incrível máquinas tão pesadas levantarem vôo e seguirem soberanas, por cima das nuvens, dando total poder ao homem de estar em um lugar do outro lado do oceano em questão de poucas horas. Não há mais distância que não possa ser encurtada. Há quem não goste de viajar por esses meios. Tá certo que se cair, dificilmente alguém sobrevive, mas em comparação com o tanto de aviões que circulam pelo céu a todo segundo no mundo todo, é uma porcentagem desprezível. Mas cada um tem seus medos e isso não pode ser discutido, certo?
Hoje, enquanto andava pelo aeroporto, fiquei pensando o que ele representa em nossas vidas, a não ser o lugar onde aviões e pessoas transitam. Em um aeroporto, se prestarmos bem atenção, veremos de tudo: pessoas correndo para não perder seu vôo, pessoas impacientes na fila do check in, outras ansiosas para embarcar, ou até mesmo esperando alguém chegar. Há aquelas que estejam tristes por ver aquela pessoas querida partir, ao mesmo tempo em que outras estão tomadas de emoção por ver uma pessoa especial chegar! Há a alegria de viajar com a família e ter aquele merecido descanso, e também a preguiça e dor por estar viajando à trabalho, tendo que ficar longe daqueles que ama. Minha gente, o aeroporto, assim como uma rodoviária ou uma estação de trem, são lugares das mais fortes emoções, e isso hoje me fez pensar muito no quanto um lugar pode fazer essa diferença e causar as mais variadas sensações em alguém.
Pensei nisso tudo, pois senti na pele novamente as duas maiores emoções que tive no ano passado, que tiveram como palco o mirante do Aeroporto de Confins, quando me despedi do meu namorado que viajava para a Europa em um avião da TAP. Chorei como criança ao vê-lo partir, e chorei também ao ver seu avião aterrissar, trazendo-o de volta para mim. No mesmo lugar em que tudo me pareceu sem sentido, a felicidade voltou a ser completa, duas semanas depois. E enquanto eu o recebia na maior alegria, outros se despediam tristemente de seus parentes, que estavam embarcando em um American Airlines. E hoje, no mesmo Mirante dos sentimentos, vi um avião da TAP levar mais vários passageiros, parentes, pessoas queridas para o outro lado do Oceano Atlântico, deixando várias pessoas desoladas, com cara de paisagem vendo o avião ficar pequeno no imenso céu nublado, enquanto um jato da Gol chegava, deixando tantos outros eufóricos e ansiosos para ganhar um abraço há muito tempo não dado.
Em outras épocas, experimentei também sentimentos de tranqüilidade e felicidade por viajar com minha família, e aproveitar momentos com certeza inesquecíveis ao lado deles.
Eu não tinha hoje ninguém chegando ou partindo. Tinha ali comigo meu namorado abraçado a mim, minha família e amigos por perto, mas isso não me impediu de ser tomada pelos mais diversos sentimentos. Foi uma mescla de vários, mas o maior de todos foi um desejo, uma vontade de passar por todos eles ao mesmo tempo, enquanto a minha próxima parada, após Confins, for o outro lado do Oceano Atlântico, onde deposito sonhos, esperança e uma vontade de sempre passar por tudo isso de novo e de novo, toda vez que for e voltar!
Gosto de rodoviárias, estações de trem e principalmente aeroportos, pois são neles que colocamos à flor da pele os mais variados sentimentos e emoções que vivem dentro de nós, e onde são nossa porta de entrada para ampliarmos nossos conhecimentos e nossos mundos, que só nos engrandecem quando paramos para nos surpreender com tudo que é novo, e existe além de estradas, linhas férreas, e céus azuis. Além do nosso horizonte!

Até a próxima com um post não-sentimental... ou não, né! ;)

Read Users' Comments (1)comentários

1 Response to "Sentimentos em um Aeroporto"

  1. Ideias aleatorias, on 19 de julho de 2010 02:13 said:

    Realmente aeroporto é uma mistura de sensações.. até porque saber que em poucas horas poderemos estar do outro lado do oceano assusta ou encanta qualquer um! Apesar de eu não gostar muito da viagem de avião em si, fico encantava com a rapidez e conforto que podemos ter a metros e metros de altitude! Excelente texto, continue escrevendo!

Postar um comentário