Igreja do Rosário - A lenda


Para quem gosta de Lendas, esse post de hoje é prato cheio! Falemos um pouco primeiro da cidade onde a lenda ganhou vida. Estamos em Diamantina/MG, uma linda e charmosa cidade história, desenvolvida a partir do ciclo do Diamante na região. Cidade da famosa Chica da Silva e também, mais tarde, do tão aclamado Juscelino Kubitschek. Ao falar de Diamantina, estamos falando de escravidão, sofrimento, exploração, pobreza e muito sacrifício. E é a partir daí que surge a lenda, a lenda que irei contar agora e que me fez arrepiar na época em que a ouvi.
São várias as Igrejas construídas em Diamantina, o que é normal em cidades históricas. Em todos os cantos da cidade há uma, sendo que, em uma das ruas, há duas, uma de frente para a outra. Mas a Igreja mais antiga da cidade é a Igreja do Rosário, construída em 1731 pelos negros escravos. Além de ser a mais antiga, ela é considerada pelos turistas como a mais charmosa! Através da fotografia acima não vai dar pra ver, mas há em sua frente uma árvore, e no meio dela, há um cruzeiro. É daí que vem a lenda, que é a seguinte: Na época da exploração de diamantes na cidade, um escravo foi condenado à morte por ter roubado um diamante. Porém ele jurou que não o havia roubado. Todos sabem muito bem que escravos não eram ouvidos, então a sentença de morte foi mantida. Já em seu leito de morte, ele disse que, para provar que era inocente e que não havia roubado os diamantes, ele mandaria um sinal, e então, foi morto.
Anos se passaram e tudo continuou no seu ritmo normal, quando uma árvore começou a nascer onde estava o cruzeiro, em frente à Igreja. A árvore nasceu e foi crescendo, até suspender a cruz, que ficou erguida. E se repararmos bem, a árvore cresceu através do cimento. Desde então, moradores e turistas de várias gerações, consideram o nascimento da árvore como um sinal do escravo, que foi morto injustamente, ao ser confundido com um ladrão de Diamantes.
Quando eu fiquei sabendo dessa lenda, estava exatamente em frente à Igreja, e à arvore com a cruz suspensa. Fiquei toda arrepiada com a lenda, e fiquei olhando e imaginando o sofrimento daquele escravo, e a árvore que pode ser fruto e prova da sua inocência. Vale à pena conhecer a Igreja, a cidade, que é linda, e a árvore famosa!

robertavonzastrow@gmail.com >> Mande para mim suas histórias e curiosidades! Aqui, elas ganham vida!

Até mais!

Read Users' Comments (6)

6 Response to "Igreja do Rosário - A lenda"

  1. Pelo Mundo, on 24 de julho de 2009 15:52 said:

    Oi, Roberta! thanks pela visita la no Pelo Mundo; espero ver vc sempre por la :-)

    E parabens pelo nome do blog, adorei. Bjs, Mari Campos

  2. Tiago, on 24 de julho de 2009 18:02 said:

    Adorei!!
    Excelente texto e uma história mto interessante. Parabéns minha gatinha! Continue assim.

  3. Fernanda, on 28 de julho de 2009 22:29 said:

    Excelente texto hein!!! para mim, o melhor até agora! bacana a história, nunca tinha ouvido!

  4. Fernanda, on 8 de dezembro de 2009 19:37 said:

    Eu moro nesta linda cidade.
    E posso dizer q é verdade,e até hj a cruz onde o escravo foi morto esta la . Bem em cima , entre os galhos da arvore.

  5. Roberta, on 11 de dezembro de 2009 21:25 said:

    Pois é, Fernanda! Achei interessantíssima essa história, e sempre que vou a Diamantina, vou lá rever essa cruz! eheheh! Obrigada pela visita e volte sempre!

  6. M Betanea M Novaes, on 1 de novembro de 2016 13:16 said:

    Prezado

    Roberta,

    Agradeço-lhe por ter colocado essa lenda em seu blog , muitos visitantes desconhecem essa lenda que é algo visível aos olhos. So um detalhe ele foi morto nesta cruz a chibatas pelo feitor. E antes de seu falecimento disse que ia mandar um sinal foi onde brotou uma gameleira na cruz o qual ele morreu presso a correntes que se encontra la até hoje. Mais um sinal da realidade a 25 anos houve uma tempestade com raios que acabou derrubando arvore e queimando a cruz. Mas pela força divina entre o restante do tronco ela brotou novamente levantando a cruz mesmo queimada entre seus galhos. Visite Diamantina e comprove essa história e tantas outras. Diamantina e um museu aberto voltado para a História da colônia Portuguesa, musicalidade, cultura e culinária.

    Um grande Abraço
    M. Betânea M. Novaes
    Pousada Vale do Garimpeiro
    Pousada Vila do Biribiri

Postar um comentário