Convento de Mafra


Já ouviram falar no convento de Mafra, em Portugal? Não? Pois saibam que este convento tem muito mais a ver com o Brasil do que vocês imaginam.
Fiquei sabendo desse convento quando meu namorado, que está lendo o livro A Ira de Deus, que relata o terrível terremoto que ocorreu em Portugal, no ano de 1755, me contou que esse convento foi construído com riquezas que os portugueses tiravam do Brasil no período colonial. Isso mesmo! Se quisermos recuperar boa parte da nossa riqueza, é só “carregar” pra cá o convento de Mafra.
Bom, vou contar melhor a história. Quando o Brasil ainda era colônia de Portugal, e predominava o cultivo da cana de açúcar, Portugal acabou começando a ter uma baixa considerável nos lucros ligados a essa fonte de renda, já que essa prática passou a se tornar comum dentre as grandes potências, aumentando dessa forma a concorrência. Alguma providência, portanto, precisava ser tomada para que o lucro voltasse a ser alto. Sendo assim, os portugueses começaram a explorar com mais afinco o interior da colônia Brasil, encontrando, onde hoje é o Estado de Minas Gerais, riquezas minerais como ouro e diamantes. Essa descoberta fez o até então rei de Portugal, D. João V, enriquecer de forma abrupta, e não seria estranho se toda essa riqueza não tivesse lhe subido à cabeça.
A mais suntuosa providência tomada por D. João V com relação a sua riqueza, foi construir em Mafra, terreno plano que fica a 40 km ao norte de Lisboa, um Palácio-Convento, que reuniu um charmoso estilo barroco e inúmeras riquezas. Um de seus objetivos era superar o Palácio dos Reis da Espanha e a Catedral de São Pedro, no Vaticano. Foram encomendadas estátuas de Roma, e 45 mil trabalhadores de toda a Portugal, chegando a paralisar o país durante sua construção, uma vez que as terras ocupadas por esses trabalhadores deixaram de ser cultivadas. O trabalho na obra envolvia dias e noites de muita dedicação, e cerca de 6 mil soldados vigiavam-nos para que tudo fosse construído a pleno vapor.
Com a dificuldade que se estabeleceu no país devido à falta de cultivo e de trabalhadores disponíveis, sem contar as perseguições da Inquisição, boa parte da população portuguesa saiu de Portugal em busca de uma vida melhor no Brasil.
Realmente o Palácio-Convento foi construído bem rápido, e sua bela e suntuosa construção até hoje causa a admiração de muitos turistas que visitam a região. D. João V e sua esposa nunca chegaram a dormir lá, procurando o local apenas para descanso e caça, porém reis posteriores usufruíram bastante do espaçoso e dos mais de cem quartos presentes em seu interior.
Felizmente o Convento de Mafra não sofreu danos com o terremoto de 1755, e está disponível para ser apreciado até hoje, em Mafra.
Quem gostou da história e quer mais informações, leia o livro A Ira de Deus, do autor Edward Paice. Além de uma pincelada sobre Mafra, o livro tráz a história de Portugal, e sua devastação pelo terremoto.

Quem tiver alguma história interessante para contar, me mande um e-mail: robertavonzastrow@gmail.com

^^

Read Users' Comments (2)

2 Response to "Convento de Mafra"

  1. Ideias aleatorias, on 25 de setembro de 2010 12:13 said:

    Não sabia disso... interessante! Espero poder ir lá um dia conhecer e quem saber trazer de volta um pedacinho de ouro nosso! hahaha

  2. Roberta von Zastrow, on 27 de setembro de 2010 23:35 said:

    Vale mesmo à pena conhecer parte de nossas riquezas, né? Estão fazendo falta por aqui!
    Obrigada pelo comentário!
    Beijos :*

Postar um comentário